Por daniela.lima

Rio - Ao estudar a obra do sambista Geraldo Pereira (1918-1955), a cantora Tania Malheiros percebeu que tinha um projeto nas mãos, especialmente pela obscuridade que envolve o nome do compositor. Daí nasceu ‘60 anos Sem Geraldo Pereira: o Sambista Maior’, que ela apresenta ao lado dos amigos Pecê Ribeiro e Osmar do Breque, hoje às 19h, no Centro Cultural Justiça Federal. 

Tania canta 'verdadeiras crônicas' da vida carioca escritas pelo mineiro Geraldo Pereira (no destaque)Divulgação


“Há uma série de sambas famosos, interpretados por gente conhecida, que as pessoas não sabem que são dele. E muitas músicas desconhecidas”, diz Tania, incluindo no rol das populares (escritas ou coescritas por Geraldo) ‘Sem Compromisso’, gravada por Chico Buarque, ‘Falsa Baiana’, por João Gilberto e Gal Costa, e ‘Bolinha de Papel’, por João Gilberto. “E descobri outras pérolas dele para o show, como ‘Falta de Sorte’.”

Nascido em Juiz de Fora (MG), Geraldo veio para o Rio aos 12 anos e instalou-se no Morro da Mangueira. Lá, participou de rodas de samba e foi um dos integrantes da Estação Primeira de Mangueira. Morreu aos 37 anos de hemorragia intestinal, supostamente após uma briga com o histórico malandro Madame Satã.

“Ele escreveu letras que eram verdadeiras crônicas do comportamento carioca naquela época”, lembra Tania, que incluiu sambas de breque feitos por Geraldo com Wilson Batista (1913-1968) e Moreira da Silva (1902-2000), como ‘Na Subida do Morro’ e ‘Acertei no Milhar’. “E o Pecê Ribeiro vai cantar um samba que escreveu em homenagem a Geraldo, ‘Salve Geraldo Pereira’.”

Com um CD lançado em 2010, ‘Deixa Eu Me Benzer’, Tania prepara o segundo disco para 2015. “Devo trabalhar novamente com o (arranjador e produtor) Gilson Peranzzetta.”

Você pode gostar