Observação do comportamento digital

Nem precisa ser um grande e atento observador para sacar muito das pessoas à sua volta nas redes sociais. Atitudes digitais são muitas vezes depreendidas nos pequenos detalhes

Por O Dia

Rio - Um observador digital é quase como um observador de pássaros. A diferença é que o segundo é anônimo entre os pássaros, seus filhotes e ninhos e o primeiro, muitas vezes, observa a vida dos que conhece, ao menos nas redes sociais.

E nem precisa ser um grande e atento observador para sacar muito das pessoas à sua volta nas redes sociais — dos seus gostos e desgostos, agravos e desagravos, indiretas do bem e do mal. As atitudes digitais são muitas vezes depreendidas nos pequenos detalhes que dizem muito.
Querem ver?

Nem precisa ser um grande e atento observador para sacar muito das pessoas à sua volta nas redes sociaisArte%3A O Dia

1) Tem gente (digo, mulheres) que curte várias fotos de uma amiga ou conhecida (foto de comida, cachorro, criança ou paisagem) menos aquela posada, ou não, onde ela está deslumbrante. Recalque? Inveja? Talvez seja mesmo coincidência... continuemos observando.

2) Tem os que são marcados por seus companheiros no Facebook e não autorizam a exibição na sua timeline. Fingindo que são solteiros? Hummm. Estamos de olho.

3) Tem os homens que não curtem nenhuma foto bonita de mulher (ou nenhuma foto de mulher bonita) se esta não for a sua. Vai que o Facebook dedura para as mulheres deles? Às vezes, eles elogiam a foto por inbox. Safadinhos. Não enganam.

4) Tem os que põem uma foto com seus parceiros e parceiras em seu avatares nas redes sociais. Paixão assumida ou tática para garantir a confiança do outro? A averiguar com os posts, oops, com o tempo.

5) Tem quem não desgrude de seu celular nem para ir ao banheiro. Prevenido ou com medo do azar de uma mensagem bisbilhotada fora de contexto? Provavelmente os dois.

6) Tem quem desative o visor da hora, para não dar satisfação para ninguém de quando entrou no WhatsApp por último. Luta pela independência ou exercício da privacidade?

7) Tem os descansados que estão ou vivem com alguém e largam o seu celular pela casa sem um mínimo de preocupação. Desleixo ou consciência tranquila?

8) Claro, tem as indiretas nossas de todo o dia — aquele recadinho esperto onde o mais divertido é saber para quem foi.

Observar o comportamento digital é divertido, experimente. Como é divertido sacar que o ser humano continua o mesmo, só muda o aparato tecnológico.

Reportagem de Bia Willcox

Últimas de Diversão