Bruna Gaglione e Erick Swolkin integram balé Bolshoi da Rússia

Dupla se apresenta hoje no Theatro Municipal

Por O Dia

Rio - A última vez que o Balé do Teatro Bolshoi se apresentou no Brasil, em 1999, os bailarinos Bruna Gaglione e Erick Swolkin não imaginavam que fariam parte da trupe no retorno da companhia russa ao país. Na época, eles eram crianças de apenas 8 anos. Mas, entre a infância dela no Maranhão e a dele, em São Paulo, a devoção à dança reservava uma surpresa do destino: subir ao palco do Theatro Municipal, hoje, na volta do Bolshoi às terras tupiniquins. 

Bailarinos brasileiros do Bolshoi%3A Erick Swolkin e Bruna GalgioneDivulgação


Eles chegaram ontem de Moscou, mas não há espaço para cansaço na agenda. E a ansiedade foi amenizada com os ensaios, que ocuparam toda a véspera da primeira sessão de ‘Spartacus’, no Rio. “É a primeira vez que me apresento no meu país pelo Bolshoi. Não tem como não ficar nervosa”, dizia Bruna, enquanto o amigo Erick só conseguia repetir: “Feliz, feliz, estou feliz.”

Não é para menos. Eles sabem que não foi fácil serem contratados pela companhia, onde trabalham há três anos. No caso de Erick, além do orgulho pessoal, há uma coincidência especial que só aumenta a alegria. “Estive desmotivado uma época. Faltava pouco para terminar a escola (do Teatro Bolshoi no Brasil, em Joinville, Santa Catarina). Aí tive que fazer um trabalho sobre algum balé. Escolhi ‘Spartacus’, por ser bem masculino. Foi o que me fez seguir até o fim”, lembra-se ele, que estudou na instituição durante oito anos.

Foi em Joinville que o paulista conheceu Bruna: ela também era aluna da escola brasileira do Bolshoi e os dois tinham em comum o sonho de fazer parte da equipe de bailarinos do Bolshoi de Moscou. Erick se mudou para o Sul com a família aos 9 anos e entrou para a instituição. Já a maranhense fez um teste despretensioso aos 12 e ganhou uma bolsa.

“Tinha certeza de que não passaria. Mas passei em primeiro lugar”, comemora a bailarina, que, assim, deu seu primeiro grande passo. Já a segunda conquista especial teve o empurrãozinho do amigo. “Em 2008, descobri que era a primeira vez que o Bolshoi da Rússia abria para estrangeiros. Aí fiz um vídeo junto com a Bruna para eles. Nos convidaram para um teste em Moscou. Passamos!”, vibra Erick, que tem 24 anos, a mesma idade de Bruna.

“No início, a mudança para a Rússia foi bem difícil. Tinha o frio de -25C° e a comunicação era terrível, por causa da língua”, lista Bruna. Mas, com determinação, a dupla conseguiu driblar as dificuldades e hoje cursa a faculdade de coreografia por lá. “Depois de um ano de trabalho, fomos promovidos, o que geralmente demora uns cinco anos. Nos empenhamos muito, pois a concorrência é enorme”, diz Erick, que, assim como Bruna, repete o espetáculo no Rio no dia 19, e nos dias 20 e 21 apresenta ‘Giselle’.

Últimas de Diversão