Ivete Sangalo e Criolo cantam Tim Maia, em show de graça, no Rio

Em Copacabana, na Gamboa e em diversos outros palcos pela cidade tem programação de qualidade e, o melhor: de graça. Confira

Por O Dia

Rio - É para ninguém ficar em casa neste fim de semana! “As pessoas no Rio têm fama de não gostar de pagar para assistir a shows. Agora não tem desculpa!”, convida Arthur Ferreira, integrante da banda Biltre, para a primeira edição do Dia da Música — são, na verdade, dois dias, amanhã e domingo, com dezenas de apresentações gratuitas em palcos espalhados pela cidade. 

O rapper e a cantora se aventuram na popular obra do Síndico%2C na Praia de CopacabanaDivulgação


O evento, ô sorte, coincidiu de acontecer junto com mais duas grandes produções destacando shows com entrada liberada: o festival Choro Na Gamboa, hoje e amanhã no Museu da Arte do Rio (MAR), na Praça Mauá, e um espetáculo resgatando a obra de Tim Maia na voz de Ivete Sangalo e Criolo, domingo, na Praia de Copacabana. 

VIVA TIM MAIA DOMINGO

O balanço irresistível da música soul de Tim Maia misturado ao ritmo frenético do axé? Para Ivete Sangalo, é fácil fazer a plateia levantar poeira ao som da batida marcante do ‘Síndico’. “Eu sempre me identifiquei com ele no groove, no romantismo. Naturalmente, eu vou inserir na interpretação elementos particulares, apesar de sofrer uma influência muito grande do Tim Maia. Mas eu consigo trazer para o meu universo as canções dele”, empolga-se a cantora.

Ela e o rapper Criolo fazem neste domingo, na Praia de Copacabana, o show da turnê ‘Viva Tim Maia’, que começou em abril por Porto Alegre e termina na próxima semana em São Paulo. “As canções de Tim Maia me remetem à infância. As músicas dele, como ‘Um Dia de Domingo’, sempre estavam presentes e me lembram demais daquela época”, rememora Criolo. 

FESTIVAL CHORO NA GAMBOA
MAR – Museu da Arte do Rio. Praça Mauá 5, Centro. Hoje (Aeromosca, Alexandre Ribeiro, Maurício Carrilho e Sexteto O Carnaval de Pixinguinha) e amanhã (Regional Nacional & Nina Wirtti, Zé da Velha & Silvério Pontes e Bebê Kramer), das 19h às 22h.

DIA DA MÚSICA
AMANHÃ:
Centro Cultural de Seropédica. BR 465, Km 52, Seropédica. Luiza Borges (às 18h).

Rioow Hostel. Rua Saturnino de Brito 190, Lagoa. Memorialistas (às 18h).

DOMINGO:
Espaço Sérgio Porto. Rua Humaitá 163, Humaitá. Mahmed (às 17h), Lê Almeida (18h), TiãoDuá (19h) e Biltre (20h).

Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa. Água Viva (14h), Daniela Spielmann Quarteto (15h), Gabriel Versiani (17h) e Bondesom (18h).

Centro de Referência da Música Carioca. Rua Conde de Bonfim 824, Tijuca. Beliscando (11h), Rafael Mallmith & Quinteto Varandão (14h), Luis Barcelos (19h) e Eduardo Neves & Rogério Caetano (20h).

Sala Baden Powell. Avenida Nossa Senhora de Copacabana 360, Copacabana. André Sampaio & Os Afromandinga (17h), Douglas Din (18h), Antiéticos (19h) e Afrojazz (20h).
Arena Carioca Dicró. Rua Flora Lôbo 100, Penha Circular. Leandro Joaquim (17h), Fábrica (18h), Rua (19h) e Negro Leo (20h).

Arena Carioca Fernando Torres. Rua Bernardino de Andrade 200, Madureira. Daniel Caldeira (17h), Vitreaux (18h), Alvinho Lancellotti (19h) e Ava Rocha (20h).

Palco Jardins das Palmeiras. Avenida Infante Dom Henrique, próximo ao MAM, Glória. Dedo (15h), Bemônio (16h), Psilosamples (17h) e Omulu (18h).

Praça Luis de Camões, Memorial Getúlio Vargas, Glória. Rubel (14h), Yamã (15h), Dom Pepo (16h) e Mohandas (17h).
Parque Garota de Ipanema. Rua Francisco Otaviano 10, Ipanema. Marcelo Vig (14h), Primos Distantes (15h), El Efecto (16h) e Strobo (17h).

Praça Tiradentes. Órbita Cristã (13h), Memorialistas (14h), TN3 (15h), Chuva a Granel (16h), Chicó do Céu (17h) e Cinco Nósi (18h).

VIVA TIM MAIA
Espetáculo em que Criolo e Ivete Sangalo celebram a obra de Tim Maia. Praia de Copacabana, em palco montado na altura da Avenida Princesa Isabel. Dom, às 17h. 

FESTIVAL CHORO NA GAMBOA

HOJE E AMANHÃ

Menos de dois meses depois da inauguração da Casa do Choro (casarão na Rua da Carioca dedicado ao gênero) e da sexta edição do Festival Nacional do Choro — isso sem falar nas aparições surpresa de Chico Buarque no bar Semente, meca do samba e choro na Lapa —, o Rio ganha mais um evento dedicado ao mais carioca dos ritmos. A primeira edição do Festival Choro na Gamboa começou ontem, e continua hoje e amanhã no MAR. “Até parece que o choro está na moda, mas na verdade ele sempre foi a música do Rio”, ressalta o virtuoso violonista Yamandu Costa, curador do evento.

A lista de atrações destaca Zé da Velha (trombonista brasileiro conhecido como um dos maiores solistas de choro do Brasil), Silvério Pontes (integrou o naipe de metais das bandas de Luiz Melodia, Tim Maia, Ed Motta, Cidade Negra e Elza Soares), Maurício Carrilho (arranjador , produtor, pesquisador e violonista, sobrinho do flautista Altamiro Carrilho) e Rogério Caetano (um virtuose do violão de sete cordas), entre outros.

“O fato de o evento ser gratuito é muito bom para fomentar a popularização do choro. É um bom atrativo para despertar a paixão pelo gênero em quem ainda não se ligou nessa onda”, destaca a cantora Nina Wirtti, atração de amanhã no festival com o grupo Regional Nacional. “Essa onda, na verdade, já vem crescendo há alguns anos, desde a criação da Escola Portátil de Música, projeto que acontece na Uni-Rio e que revelou diversos talentos que hoje são até professores”, comenta.

DIA DA MÚSICA AMANHÃ E DOMINGO

A primeira edição do Dia da Música promove mais de 100 shows gratuitos, hoje e amanhã, em diversos espaços, como Espaço Sérgio Porto (Humaitá), Parque das Ruínas (Santa Teresa), Centro de Referência da Música Carioca (Tijuca) e Arena Fernando Torres (Madureira), entre vários outros (confira os endereços no destaque abaixo). Inspirado pelo festival francês Fête de la Musique, o Dia da Música é parte de um evento global realizado simultaneamente em mais de 700 cidades, em 100 países, para celebrar a música.
“Nosso intuito é o de fomentar a produção autoral da música no Brasil”, diz Gustavo Steinberg, idealizador do projeto.

Para isso, ele convidou profissionais envolvidos com a produção e promoção da cena independente e autoral para selecionarem as atrações dos palcos. “Geralmente, eu descubro novos artistas através de indicações de amigos. Desta vez, como curadora do evento, tive a obrigação de ir atrás desses nomes, e foi muito interessante, descobri muita coisa boa e foi difícil escolher entre tantos talentos”, relata a jornalista Lorena Calabria, que assinou a programação em Madureira, escolhendo Daniel Caldeira, Vitreaux (de São Paulo), Alvinho Lancelotti e Ava Rocha. “Quando falamos de Madureira, pensamos de cara em samba, por isso optei em levar para lá outros tipos de som, diferente do que usualmente é relacionado ao bairro.”

Últimas de Diversão