Circuito Favela Criativa começa sábado

Arte que nasce nas comunidades do Rio

Por O Dia

Rio - “A gente não quer só comida/ A gente quer comida, diversão e arte’’. Como bem lembrou o Titãs, na canção ‘Comida’, o povo gosta e precisa, sim, de diversão e arte. E, como uma resposta para o pedido, a partir de sábado sete comunidades do Rio vão ser invadidas por uma onda de cultura que promete saciar todo mundo. 

O grupo Contra Bando de Teatro é uma das atrações do CircuitoDivulgação

Apresentações de dança, teatro, música, circo, gastronomia, moda e arte urbana vão dar o tom do primeiro Circuito Favela Criativa, uma iniciativa da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro. O objetivo do evento é dar visibilidade para os projetos organizados pelos jovens das comunidades. “Antes, esses projetos se apresentavam clandestinamente, ninguém conseguia ver, eles ficavam dentro das comunidades. A ideia desse circuito é fazer com que a população do Rio conheça esses trabalhos e que os grupos, de diferentes localidades, possam conhecer os projetos uns dos outros e, assim, trabalharem juntos’’, afirma a secretária de Cultura do Estado, Eva Doris.

Os eventos acontecerão em espaços culturais da Vila Kennedy (1 e 2 de agosto), Rocinha (8 e 9 de agosto), Manguinhos (15 e 16 de agosto), Cidade de Deus (22 e 23 de agosto), Região Portuária (29 e 30 de agosto), Complexo do Alemão/Penha (5 e 6 de setembro) e Grande Tijuca (12 e 13 de setembro). Dos 700 projetos inscritos, 400 foram selecionados, totalizando 2.500 artistas envolvidos. Uma das exigências do edital era que os jovens se juntassem em grupos, de diferentes partes do Rio, para poder trabalharem em conjunto.

A coordenação artística é assinada pelo ator e diretor de teatro Ernesto Piccolo, que encontrou um tempo na rotina atribulada (ele está dirigindo as peças em cartaz ‘Doidas e Santas’, ‘Bronca de Quê’ e ‘A Antessala’) para fazer a curadoria do evento.

“Quando recebi o convite fiquei muito feliz em poder mostrar que dentro dessas comunidades também tem muita coisa boa acontecendo no campo das artes. O circuito vai ser bom para divulgar todo o poder cultural desses jovens’’, comenta o ator, que cuidou de toda a programação, desde os horário até a distribuição dos coletivos.

Grupos como o Experimental Funk Lata Doida, que mistura funk com outras músicas nacionais usando instrumentos reciclados, o Pearls Negra, de rap eletrônico, e Contra Bando de Teatro, formado por ex-alunos do AfroReggae, são algumas das atrações. Além disso, os fins de semana também terão convidados especiais. O primeiro confirmado é o MC Marcinho, que vai abrir a programação na Vila Kennedy.

“A ideia é que o circuito vire um programa oficial do governo e que aconteça até 2018”, diz Eva.
A programação completa pode ser conferida no site www.favelacriativa.rj.gov.br/circuitofavelacriativa/. Os eventos têm entrada gratuita. 

Reportagem: Beatriz Calado

Últimas de Diversão