Rodrigo Lombardi diz que ficar nu em cena é natural

Ator prefere não julgar Alex, seu personagem em ‘Verdades Secretas’, e diz que se diverte com o sucesso

Por O Dia

Rio - Pensa em um cara rico, gato, poderoso e com jeito de que manda bem entre quatro paredes. Esse cara é ele, Rodrigo Lombardi, ou melhor, o Alex, de ‘Verdades Secretas’. Figura presente no imaginário feminino desde ‘Caminho das Índias’ (2009) — que está sendo reprisada no ‘Vale a Pena Ver de Novo’ —, o ator, de 38 anos, posa de modesto diante do sucesso com as mulheres, feito que também se repetiu em ‘Salve Jorge’ (2012) quando deu vida ao tenente Theo, aquele que tinha seus romances embalados pela música ‘Esse Cara Sou Eu’, de Roberto Carlos. “Tem gosto para tudo. Quem ama o feio, bonito lhe parece. O que eu posso fazer? É divertido. Não sou eu, é o que eu estou fazendo”, diz.

Rodrigo Lombardi diz que nudez em cena é natural Divulgação

Sim, mas o dono do bumbum que monopolizou as atenções no primeiro capítulo de ‘Verdades Secretas’ e ficou entre os assuntos mais comentados das redes sociais é, sim, Rodrigo. “Não imaginava que fosse causar tanta repercussão. Nudez para mim não é um problema. Quando eu vim para a Globo, eles tinham me visto em uma peça do Grupo Tapa que eu já entrava em cena nu. Eu tenho um despudor em relação a isso, mas não vou fazer de graça. Preciso saber por que devo fazer tal cena pelado”, explica.

No caso de ‘Verdades Secretas’, o motivo é claro. Alex gosta muito de sexo e tem prazer em levar menininhas, como Angel (Camila Queiroz), por quem tem verdadeira obsessão, para a cama. E como o horário permite, nada mais natural que os personagens vivam momentos de intimidade sem roupa, seguindo a linha ‘a vida como ela é’. “Não é esquisito duas pessoas terem uma relação sexual nuas, não é chocante, é só um susto inicial. Hoje, essa cena se repete e não assusta mais”, acredita.

Nem a arrogância de Alex, que se comporta como se fosse o dono do mundo, parece assustar o público. “O Alex não é um vilão clichê de folhetim, é um cara que está muito próximo da gente, mas com uma outra roupagem e com um glamour excessivo. Se a gente parar para pensar só no que está no papel, ele é muito próximo de qualquer pessoa porque a gente fala dos sentimentos básicos do ser humano, que são poder, cobiça, luxúria, inveja. Em ‘Verdades Secretas’, a gente lida muito com sexo e poder, que são duas forças que regem o mundo desde que o mundo é mundo”, observa.

Levado por essas forças que o dominam, Alex, para não ficar longe de Angel, usou todo o seu poder de sedução para se casar com a mãe dela, Carolina (Drica Moares), formando, assim, um polêmico triângulo amoroso. “Nada que é humano me é estranho. A gente não precisa ir muito longe, nem ir para o trágico, para descobrir coisas desse tipo. Woody Allen se casou com a enteada e foi muito pior porque ele criou a menina e depois se casou com ela. Esse não é o primeiro, o segundo e não vai ser o último caso. Não me cabe julgar, o que me cabe é criar um caminho para entender isso aí. É a lei da atração, da ausência da culpa católica”, comenta.

Mergulhado na complexidade de Alex, Rodrigo prefere não apostar nem se o sentimento do personagem por Angel é verdadeiro. “Não sei se o Alex é um psicopata ou se ele gosta da Angel mesmo. Eu faço assim, na dúvida. Certo é que ele prefere as menininhas”, frisa.

E que as mulheres suspiram ao ver Rodrigo, que foi apelidado de Raj Grey, em referência ao seu personagem em ‘Caminho das Índias’ e ao protagonista sedutor do best seller ‘Cinquenta Tons de Cinza’ que virou filme. “Não li o livro nem vi o filme. Quando começaram a me chamar de Grey, aí que não vi mesmo. O meu Grey tem mais a ver com o Mickey Rourke em ‘Nove Semanas e Meia de Amor’”, conta, completando. “As mulheres nunca chegam para mim dizendo: ‘Eu te pegaria’. Elas só pedem uma foto. Eu ouço os comentários quando elas vão embora. Aí é um tal de: ‘Ai, meu Deus’”, diverte-se.

Últimas de Diversão