CPM 22 abre Palco Mundo do Rock in Rio com som punk

Lamb Of God leva emoção para o Palco Mundi

Por O Dia

Rio - O jargão reza que esta quinta é o segundo dia de "heavy metal" do Rock In Rio. Não foi bem o que aconteceu na Cidade do Rock: o Palco Mundo abriu direto com o som pesado, mas herdado do punk e do hardcore, da banda paulista CPM 22.

O repertório, fiel à recém-lançada coletânea '20 Anos', fez a alegria de fãs que conheceram as melodias "para cima" e as letras quase de autoajuda do grupo ainda na infância. "Ganhei um CD deles quando eu tinha uns dez anos de idade e nunca deixei de escutar o grupo. Tive poucas chances de conferir ao vivo", diz o fã Renato Mello, 21 anos, estudante.

Refrãos como os de 'O Mundo Dá Voltas', 'Dias Atrás' e 'Não Sei Viver Sem Ter Você' foram praticamente berrados pelo público, numa apresentação só de hits, que incluiu ainda uma releitura dos Ramones, 'Sheena Is a Punk Rocker'.

Aberto com as bandas Project 46 + John Wayne e Halestorm, o concorridíssimo (e ainda desconfortável por ser uma área de passagem em meio a um mar de gente) Palco Sunset teve muita emoção no palco e na plateia com o show do Lamb Of God. O grupo americano de heavy metal passou por maus bocados quando o vocalista Randy Blythe foi preso durante 37 dias em 2012, acusado de empurrar um fã que tentava subir no palco - e que acabou morto. Com poucas músicas do novo álbum, 'VII: Stum und Drang', e muitos hits, o show veio em clima de celebração para vários fãs, em canções como 'Walk With Me In Hell' (na abertura), 'Something To Die For' e, mais para o final, 'Laid To Rest' e 'Black Label'. Na sequência, veio mais som pesado para encerrar o Sunset, com Deftones.

Últimas de Diversão