Um papo com Delfeayo Marsalis e José James

Os dois jazzistas se apresentam no Mangaratiba Jazz & Blues Festival no fim de semana

Por O Dia

Rio - No fim de semana, feras do jazz e do blues tocam nos arredores do Rio. Em sua primeira edição, o Mangaratiba Jazz & Blues Festival reúne de sexta a domingo (e de graça) nomes importantes ligados aos improvisos. As apresentações acontecem na Praia de Muriqui e no coreto da Praça Robert Olympio Simões, no Centro de Mangaratiba. No lineup (confira em mangaratibajazzebluesfest.com.br) há nomes como os brasileiros Blues Etílicos, Big Time Orchestra e Leo Gandelman. Dos Estados Unidos, vêm o trombonista Delfeayo Marsalis, que toca hoje, e o cantor José James, que se apresenta amanhã.

Delfeayo vem de família de músicos. Os irmãos são bastante conhecidos: Wynton Marsalis (trompetista), Branford Marsalis (saxofonista) e Jason Marsalis (baterista). O pai Ellis Louis Marsalis, Jr., com 80 anos, é pianista de jazz. Aos 50, ele apresenta em Mangaratiba a sonoridade do jazz e dos estilos musicais praticados em Nova Orleans, ao lado da cantora Sharon Martin e de uma turma de músicos de sua terra. Já José James, com 37 anos, é um cantor de jazz bastante querido pela turma que aprecia rap e sons mais modernos. É cria do histórico selo Blue Note e é tão fã da jazzista Billie Holiday (1915-1959) que recentemente dedicou um disco inteiro às músicas interprertadas por ela, 'Yesterday I Had the Blues: The Music of Billie Holiday'.

O DIA bateu um papo rápido com os dois.

Os dois jazzistas se apresentam no Mangaratiba Jazz %26 Blues Festival no fim de semanaDivulgação


DELFEAYO MARSALIS

Fale um pouco sobre como será o show em Mangaratiba
Estou bem animado em levar lá a sensacional vocalista Sharon Martin e um grupo de grandes talentos de Nova Orleans. Vamos tocar uma variedade de canções com base em música africana, blues e som de Nova Orleans.

Como foi crescer com irmãos músicos?
Eles sempre foram uma grande influência sobre mim. Hoje eu até percebo que minhas gravações têm um som melhor que as deles! Bom, crescemos na época do movimento pelos direitos civis e o foco nem era a música, mas em ter acesso à informação e usá-la com responsabilidade. A música tornou-se o melhor caminho para mantermos nossas individualidades e fazer, de certa forma, política. Não foi uma coisa que veio desde a concepção, mas funcionou bem, eu acho.

Você acredita que sua família criou uma assinatura musical?
Pode ser. Mas claro que crescer na mesma casa, com influências similares, trouxe algo de comum a todos os nossos trabalhos...

Quando você conheceu a Sharon Martin?
Há poucos anos, mas recentemente fizemos um grande show que me inspirou a chamá-la para fazermos algo juntos. Ela vai cantar algumas das canções originais que fiz e uns 'funky blues'.

JOSÉ JAMES

Muitos dizem que você é um cantor de jazz para a geração que cresceu sob o signo do hip hop...
É difícil falar sobre música, mas é essencial. Se as pessoas me chamarem disso aí até o dia em que eu morrer, não será nada ruim. Mas minha música traz dentro dela muitas culturas e estilos, e acho que essa definição nem dá conta disso. Eu chamo apenas de "boa música"

Você assinou com a gravadora Blue Note em 2012. É uma honra ser um artista de um selo tão importante para o jazz e para o blues?
Claro! Blue Note é um dos mais icônicos selos no mundo e é uma honra estar representando essa gravadora. Fico muito orgulhoso do meu trabalho lá e do meu relacionamento com Don Was (o atual presidente do selo). Ele é o melhor chefe de gravadora do qual eu poderia falar.

Billie Holiday é essencial na sua música?
Ela é a maior cantora de jazz de todos os tempos e tudo o que eu tenho de bom veio dela, sem sombra de dúvida. Tudo que sei sobre cantar jazz, aprendi com ela. Ela é a mestre do estilo.

SERVIÇO:

Mangaratiba Jazz & Blues Festival. Praia de Muriqui, Orla. Praça Robert Olympio Simões, Centro, Muriqui. De sexta a domingo, a partir das 19h. Grátis. Livre.

Últimas de Diversão