Pipoca, café e chocolate ganham sinal verde dos nutricionistas

Eles são do bem: Geralmente encarados como vilões da dieta, alimentos podem ser benéficos à saúde

Por O Dia

Renata Santos adora pipoca%3A ‘Faço sem manteiga’Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Rio - Ir ao cinema e comer aquela pipoquinha. Ou então devorar um pedaço de chocolate depois do almoço. Para as pessoas que estão na luta contra a balança, esses alimentos parecem verdadeiros vilões. Outros, como o café, são acusados de fazer mal à saúde. Mas não é bem assim.

“A pipoca é uma excelente fonte de carboidrato complexo, fornece energia sem aumentar a glicose. Também tem bastante fibra. Já o chocolate só é bacana se for aquele com 60% a 80% de cacau. Ele é rico em antioxidantes, retardando o envelhecimento da pele. O cafezinho, por sua vez, é um poderoso acelerador do metabolismo, mas nada de colocar açúcar”, ensina a nutricionista e personal diet Luiza Slama.

A musa da Mangueira Renata Santos não abre mão da pipoca, principalmente quando vai assistir a um filme. “Eu realmente adoro pipoca. Mas eu prefiro fazer na água, sem manteiga, e colocar o sal rosa, que é muito mais saudável do que o branco. Para acompanhar, nada melhor do que um suco de laranja natural”, diz a moça, de 34 anos, que tem outra paixão. “Eu amo chocolate. Então, nessa dieta, a minha nutricionista passou o chocolate meio amargo. Resolve todos os meus problemas, e ainda é muito gostoso.”

E tem outras delícias que também podem entrar nessa dieta rica em benefícios. “O amendoim (sem casca e sem sal) é rico em fibras, causa saciedade, ajuda a diminuir o colesterol ruim (LDL) porque tem ômega 3, arginina e gordura boa. A arginina melhora a circulação e a pressão por dilatar os vasos sanguíneos. Já o abacate é rico em ômega 9. Por isso, é um dos poucos alimentos que ajuda a aumentar o colesterol bom.

Além disso, pela presença dessa gordura, ele é muito bom para dar saciedade. Também melhora a pele, evita celulite e aumenta o tônus muscular”, ensina a nutricionista Rachel Faria, da Pronut Consultoria em Terapia Nutricional, que defende o café nosso de todos os dias. “O problema do café é a quantidade em que ele é ingerido. Doses moderadas (2 xícaras por dia) são benéficas por aumentar o foco, a concentração e a termogênese (gasto calórico), porém o excesso de cafeína pode causar arritmia e insônia”, finaliza a nutricionista. 

Últimas de Diversão