Por bianca.lobianco
Publicado 26/11/2015 13:29 | Atualizado 26/11/2015 14:07

Rio - A cidade acorda com uma surpresa: o seu ícone representante máximo das festas de fim de ano, a árvore de Natal da Lagoa, amanhece quebrada, destruída. Ventos fortes foram a causa do estrago. A natureza mais uma vez botando o pau na mesa. A árvore da Lagoa é mais do que o seu nome diz: é programa, é diversão, é celebração, é a revalidação do amor à cidade e consequente esperança eterna de uma cidade mais ninho, mais protetora e menos ameaçadora, inóspita e até aterrorizante em certos momentos. Inauguração adiada e a certeza cada vez maior de que ninguém pode com o fator X do universo.

Podiam ter previsto tal força dos ventos? Talvez sim. Mas, na real, nascemos com a espada do inesperado na cabeça e custamos a entender a natureza cartesiana do fator X, tornando-o, na maioria das vezes, algo divinal. 

A despeito de todas as estatísticas, de toda a lógica e tecnologia, haverá sempre o inesperado que nos causa perplexidade, conformismo e um tanto de fé na fatalidade (aconteceu-porque-tinha-que-acontecer).

E assim caminhamos rumo ao final de nossas trajetórias — vivendo surpresas agradáveis que nos fazem seguir com entusiasmo, notícias inesperadas tristes e chocantes causadas por fatores da natureza incluindo o bicho homem de diversas espécies e comportamentos.

Por mais que digamos que poderia ter sido previsto e evitado, o fator X é parte integrante do pacote que recebemos ao nascer. Sem entrar no mérito da previsibilidade ou da culpa, ele, o fator surpresa, é a possibilidade de termos dias, meses e anos completamente diferentes do que imaginávamos. É o looping, o além. É o resultado inesperado de um exame, o tombo na calçada que te leva pra cama, a bala perdida, a barragem que se rompe, o terrorista assassino que se passa por gente, a chuva não prevista, a paixão que nasce numa fila ou aplicativo, a gravidez acidental, a notícia que afeta a sua rotina.

O fator X é o susto inexplicável da vida, presente numa simples árvore ornamental de uma cidade ou no destino de um povo inocente.

E ainda não há como adquirir o kit vida sem o fator X incluído. E nem sei se valeria tanto sem ele .

Você pode gostar