Bia Willcox: Feliz Ano Novo II

Enfim, fecha-se o ciclo ‘a meia-bomba’ entre Natal e Carnaval para, enfim, começarmos a desenvolver o ano propriamente dito

Por O Dia

Rio - Nada como começar o ano de verdade. Nada como deixar pra trás os dias de alegria entorpecida e entorpecente do Carnaval. Não é ‘ranzinzice’ nem ‘do-contrice’. Todos na vida têm direito a um ópio pelo menos uma vez ao ano. Levar a consciência e a lucidez chata do dia a dia para passear de vez em quando é bom.

Vendo de fora, me parece uma explosão de excitação e serotonina durante os dias de folia. Seja ela espontânea ou provocada (a explosão). Enfim, fecha-se o ciclo ‘a meia-bomba’ entre Natal e Carnaval para, enfim, começarmos a desenvolver o ano propriamente dito. E há uma beleza nisso, ah se há:

Os noticiários de TV (os abertos e até mesmo aqueles fechados que jurávamos que iam continuar informando durante a festa) deixam de mostrar blocos, batuques e fantasias para voltar a nos informar, matando a fome de notícia de quem sofreu sem ‘comida’ em todos os dias de folia.

As reuniões e agendamentos voltam a ser marcados. Aulas começam pra valer, livros didáticos começam a ser usados, rotinas estabelecidas na vida das crianças. Viva o progresso!

Ruas limpas. Um sonho para quem anda nas ruas de seu bairro por entre muito lixo em dias de Carnaval.
Dietas começam, vidas tentam ser mais saudáveis, com menos álcool e mais sossego. Lindo demais!
Nada como se sentir num lugar mais civilizado, onde, mesmo com menos êxtase e alegria esfuziante, possamos viver rotinas chatas e necessárias a qualquer felicidade mais duradoura. Feliz Ano Novo!

Últimas de Diversão