Precursora do look do dia, Cris Guerra desvenda mistérios do estilo em 2 livros

Blogueira divide autoria de ‘Que Ninguém Nos Ouça’ com jornalista Leila Ferreira. Já ‘Moda Intuitiva’ ganha nova versão

Por O Dia

Cris Guerra desvenda mistérios do estilo em dois livrosAcervo Pessoal

Rio - Criadora do primeiro blog do look do dia do Brasil, o ‘Hoje Vou Assim’, a publicitária mineira Cris Guerra, 45 anos, divide a autoria do livro ‘Que Ninguém Nos Ouça’ (ed. Planeta; 240 págs., R$ 34,90) com a jornalista Leila Ferreira, 62. Na publicação — que será lançada na terça-feira, às 19h, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon —, Cris e Leila abordam, numa troca de e-mails, temas como maternidade, amor e envelhecimento.

Para completar o momento produtivo, o livro ‘Moda Intuitiva’ (editora Planeta, 192 págs.; R$ 36,90) — que Cris lançou em 2013 e virou best-seller — ganha nova versão, e amplia o espaço para a autora dar dicas preciosas de como se vestir no trabalho.

“No livro ‘Que Ninguém Nos Ouça’, eu e Leila falamos sobre o peso e as exigências que existem sobre as mulheres. Discutimos vários assuntos e tivemos momentos de catarse e crises de lágrimas. A Leila optou por não ter filhos. Foi uma escolha, mas às vezes dói. Eu sou mãe do Francisco, que está com 9 anos. E quando a gente é mãe não pode entristecer”, diz Cris, que já tinha perdido os pais quando teve que enfrentar a morte do pai de seu filho, aos sete meses de gravidez. “Perdi o maior amor e ganhei o maior amor. Brinco que não fui eu quem pari Francisco, foi ele quem pariu várias mulheres”, analisa.

E foi para conseguir seguir em frente que ela mergulhou na internet, transformou a moda em melhor amiga e viu a estrada da vida ganhar bifurcações surpreendentes. “Em 2007, criei um blog chamado ‘Para Francisco’, em que eu escrevia para o meu filho. Era terapêutico, e começaram a interagir comigo. Seis meses depois, comecei a postar o meu look do dia. A moda me ajudou a construir autoestima. Não me abandonei em hora alguma”, lembra. “Quando o blog começou a crescer, passei a colocar legenda, a fazer um editorial da vida real”, diz a publicitária. Hoje, Cris tem milhares de seguidores no blog e em suas redes sociais e faz palestras sobre moda e autoestima por todo o país.

Precursora dos blogs de moda no Brasil, ela não poupa críticas ao que isso se transformou. “As blogueiras famosas não têm problemas nem crise, estão sempre em lugares maravilhosos. Quem se resume a segui-las faz pacto com a infelicidade. A referência de realidade foi jogada por terra em determinados blogs de moda. Eu não sou rica nem pobre, sou muito de verdade. E, no meu blog, nunca vou usar algo que não tenha a ver comigo”, afirma. “Fora isso, as nossas blogueiras falam muito sobre moda internacional, o que é um desserviço à moda brasileira. Nunca fui à Semana de Moda de Nova York e isso não me faz menos entendida. Eu, por exemplo, tento ser embaixadora da moda mineira”, continua.

Cris Guerra posa com a jornalista Leila FerreiraAcervo Pessoal

Na nova versão de ‘Moda Intuitiva’, ela aprofunda os conselhos para quem não quer errar no ambiente corporativo. “As roupas clássicas são as grandes aliadas. O desafio é dar um toque pessoa a elas. Tênis, dependendo da empresa, fica esportivo demais. Decotes e comprimentos curtos são inadequados. É o aprendizado do limite e do bom senso. A gente não tem que se vestir para os outros, mas é uma questão de respeito”, ensina.

Os bons conselhos de Cris

VESTIR-SE é uma espécie de alquimia. A eleição das peças no armário a cada dia deve levar em consideração sempre esses fatores: você e seu estado de espírito; o ambiente e a ocasião que você vai frequentar; as tarefas que provavelmente terá naquele dia; o tempo que permanecerá vestindo aquela roupa; e, claro, o clima lá fora.

NO TRABALHO, está usando saia, que mostra uma parte das pernas? Talvez seja melhor usar um blazer ou um cardigã por cima da camisa. Pernas e braços à mostra talvez seja um exagero. A calça é mais ajustada? Então não cabe uma parte de cima tão ajustada quanto.

TER UM ARMÁRIO ORGANIZADO é uma das grandes armas contra o vício de comprar. E, a menos que você tenha um closet de quinhentos metros quadrados, qualquer organização vai exigir renúncias. Mas uma roupa apertada no meio do bolo é mais uma roupa a não ser vista e, consequentemente, a não ser usada. Quanto menos roupas temos, mais exercitamos o estilo.

Últimas de Diversão