Teatro Rival reabre com programação gratuita de quarta a sexta

Templo de arte terá cozinha do Aconchego Carioca e bar na calçada

Por O Dia

Rio - Misturar arte, gastronomia e boemia dificilmente dá erro. E foi pensando nesse tripé que o ‘dream team’ do Teatro Rival (formado pela atriz Leandra Leal, o produtor Alê Youssef, a chef premiada do Aconchego Carioca, Kátia Barbosa, sua filha Bianca, e também o empresário Pedro Henrique Trajano) apostou para reabrir o local amanhã, às 21h, com show de Pedro Luís, com participação de Ney Matogrosso e A Parede.

Pedro%2C Alê%2C Bianca%2C Leandra e Kátia posam no Rival. No detalhe%2C Kátia e a filha apostam nos bons drinques do RivalzinhoJoão Laet / Agência O Dia

As novidades fazem qualquer carioca desejar passar, pelo menos, algumas horas do seu dia por lá. A programação do Rival (de quarta a sexta) agora é gratuita. Quem estiver passando pelo local, sinta-se convidado para entrar, puxar sua cadeirinha e gozar de um bom show (com temáticas diferentes de acordo com o dia da semana), além, claro, de contar com um cardápio escolhido a dedo e um bar recheado, especialmente para agradar o público.

“Há dois anos, minha mãe (Angela Leal) começou a sinalizar que queria passar o Rival para mim. Tocar sozinha o teatro foi uma batalha grande para ela. Aprendi que sozinha ia ser difícil e acredito muito na vida com parcerias. Sou ótima para dividir. Conversei com o Alê, meu marido, e pensamos primeiro em um novo formato para o Rival”, conta Leandra.

Algumas delícias do cardápio: Frango com molho de cerveja, bolo de melado com banana, Escondidinho de cogumeloJoão Laet / Agência O Dia

“Precisávamos investir em duas áreas para o projeto dar certo. Parte gastronômica e auxílio no suporte administrativo e operacional. Queremos que a pessoa tenha a experiência de ficar muito tempo aqui. Um lugar carregado de alma, tem muita história aqui dentro. Se procurar em qualquer década, acha algum símbolo nacional que foi lançado nesse palco”, justifica Alê.

Durante os fins de semana, os shows continuam com bilheteria. O antigo Café Rival sai de cena e dá lugar ao Rivalzinho, novo bar voltado para as calçadas da Rua Álvaro Alvim, que já é considerado novo point da cidade. Ele funciona de segunda a sexta, e também quando tem shows no fim de semana. Toda quinta e sexta, um DJ agita o local durante o happy hour.

“Isso de não pagar entrada é tendência no mundo inteiro. Nenhuma casa consegue, infelizmente, viver só de bilheteria. Ainda mais uma casa desse tamanho. Ainda existe a necessidade de formação de plateia para o artista, que é impossível de se fazer quando coloca ingresso”, explica Alê.

Bianca Barbosa se anima com a agitação noturna do Rivalzinho, onde são servidos quitutes clássicos do Aconchego. “O ponto alto é a democratização. Colocar DJ na rua, com um público mais eclético possível. Vai do mendigo dançando ao cara que sai de terno e gravata do trabalho”, empolga-se Bianca.

O modelo novo do teatro é um risco, na visão de Leandra, mas que vale a pena ser corrido. E ela tem o apoio total dos sócios. “Fizemos essa aposta acreditando bastante que vai ter retorno de receita e de público”, conclui Pedro Trajano. 

Água na boca

Os 82 anos de idade do Teatro Rival Petrobrás são sinônimos de renovação e modernidade. Para acompanhar a mudança de comportamento do público e suprir os desejos dos amantes de uma boa comida, uma nova cozinha passa a funcionar no local, comandada por Kátia e Bianca Barbosa, do famoso restaurante Aconchego Carioca.

Dupla do Aconchego Carioca vai abrilhantar o cardápio do RivalJoão Laet / Agência O Dia

De segunda a sexta, das 12h às 16h, o Teatro abrirá para almoço e é Kátia e sua filha quem assinam também o menu. “Quis valorizar pratos que as pessoas não ligam mais. Como camarão com chuchu, Oswaldo Aranha, espaguete de pupunha, que é algo mais leve. Tem entrada, principal e sobremesa”, conta Kátia. Pato de sol, ela afirma, é de colocar qualquer um com água na boca.

E para os boêmios, a pedida é o delicioso frango ao molho de cerveja. Para sobremesa, cuscuz de tapioca com manga e bolo de melado com banana são algumas opções. “Temos nove receitas fixas e 60 intercaladas durante a semana”, acrescenta. O bar do local ficou top de linha, a carta de cerveja é assinada por Edu Passarelli e Alex Mesquita faz a consultoria do bar e drinques. “Escolhemos os melhores da área para atuar, pessoas que entendessem bem o espírito carioca, com drinques incríveis”, diz Kátia.

Últimas de Diversão