Tom Cavalcante coloca Dilma e Cunha no paredão de seu novo programa

'Casa dos Políticos' faz uma sátira do 'BBB' e estreia nesta segunda-feira no Multishow

Por O Dia

Rio - O conturbado momento da política brasileira é um prato cheio para o humor. Que o diga Tom Cavalcante, que transformou um divertido quadro do programa ‘Multi Tom’ em uma série inédita no Multishow.

Com estreia nesta segunda-feira, às 23h30, ‘Casa dos Políticos’ faz uma sátira do ‘BBB’, em que personagens como Dilma, Lula, Cunha e Bolsonaro estão confinados e disputam a faixa presidencial. “A gente está vivendo essa novela política com intensidade. O tema está na boca do povo. É a oportunidade de tratar isso na versão do humor”, diz Tom, que interpreta o apresentador Pedro Miau e imita o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o deputado Eduardo Cunha. “Não faço o timbre de voz parecido com o do Cunha, mas a volúpia que ele tem de falar, palavra por palavra. E imito aquele jeito que ele anda”.

Tom Cavalcante será Pedro Miau, um dos seus personagens, na nova série no Multishow Divulgação / Edu Viana / Multishow

O programa já tinha gravado seus cinco episódios quando o Supremo Tribunal Federal decidiu afastar Cunha da presidência da Câmara dos Deputados na quinta passada. Mas, meio que profetizando os acontecimentos, o político também é eliminado do reality. “Apostamos muito na relatividade, vendo os possíveis desdobramentos políticos. E a gente acerta em cheio em um dos episódios, em que o Cunha é afastado pelo Janot (Rodrigo Janot, procurador-geral da República) e levado pelo japonês da Federal. O texto é muito atual”, conta o humorista.

O impeachment da presidente Dilma Rousseff também é retratado. Na atração, ela ganha a prova do líder, mas é impedida de assumir a liderança e fica trancada 180 dias numa sala, de onde assiste a tudo que se passa na casa em um telão. “Dilma fala que é golpe”, adianta Tom. “A gente foi atirando e acertando em coisas bem pontuais”.

Acima%2C o elenco do programa%3B à dir.%2C Tom como Eduardo Cunha%3B abaixo%2C Dilma e FHCEdu Viana/Divulgação Multishow

Para entrar na ‘Casa dos Políticos’, Tom elegeu uma turma com bagagem no humor. O elenco tem Enio Vivona (Lula), Antonio Klemer (José Sarney), João Toló (Michel Temer), Mila Ribeiro (Dilma Rousseff), Plinio Gaspar (Tiririca), Rafael Mello (Geraldo Alckmin), Roberto Sargentelli (Rodrigo Janot), Rodrigo Cáceres (Levy Fidelix), Rudy Landucci (Jair Bolsonaro) e Vinicius Vieira (Aécio). As participações especiais ficam por conta de Maria Cristina Agostinho (Dona Marisa) e Pedro Nishikaku (Japonês da Federal). “Fui pegando os melhores. Aposto em humoristas profissionais, todos são muito experientes”, diz ele, acrescentando que há espaço para o improviso. “O que não funciona a gente corta na edição”.

Sabendo que o país está dividido por causa da discussão política, Tom Cavalcante garante que tomou cuidado para não acirrar ainda mais os ânimos. “Não quis passar esse sentimento. Brincamos com os fatos, mas ideologicamente somos apartidários, fazemos humor pelo humor”, frisa ele, que resume: “A função do humor é mostrar essa palhaçada que está aí e ajudar o povo a fazer uma reflexão. O humor desmoraliza”.

Como cidadão, ele torce para que o país melhore. “Somos uma democracia nova, que está evoluindo. É um momento doloroso, com remédio amargo, mas vai ter resultado lá na frente”, acredita.

Últimas de Diversão