Projeto da Caixa Cultural exibe curtas-metragens no Centro gratuitamente

‘Curta no Almoço’ vai exibir os filmes em três sessões diárias nos horário de 12h, 12h45 e 13h30

Por O Dia

Rio - Uma oportunidade de relaxar em meio à rotina acelerada do Centro do Rio chega aos cariocas a partir do dia 14 de junho, e fica até o dia 1º de julho. A 12ª edição do projeto ‘Curta no Almoço’ vai exibir ao todo 22 curtas-metragens, na Caixa Cultural, de graça, em três sessões diárias nos horário de 12h, 12h45 e 13h30. Comédias, documentários e filmes com temáticas como o racismo fazem parte da programação.

‘Kbela’ (2015) tem elenco composto por mulheres negras e propõe ao público uma reflexão sobre o racismoDivulgação

“O público em geral vai ao cinema assistir a longas. Os curtas ficam mais restritos a festivais. Essa iniciativa é uma chance de o público, que passa pelo centro do Rio, e pessoas que nunca assistiram a curtas conhecerem esse formato. A ideia é torná-lo mais acessível”, afirma Guilherme Whitaker, 47 anos, produtor e curador do projeto.

Entre os curtas, Guilherme destaca o ‘Kbela’ (2015), de Yasmin Thayná, filme que propõe uma reflexão sobre o racismo vivido por mulheres negras e que vai abrir as exibições, e o documentário ‘Chacal Palavra Filme’ (2015), de Piu Gomes, ganhador do prêmio de Melhor Curta pelo Júri Popular no Festival de Montpellier (França), sobre o poeta Chacal, conhecido no cenário da contra cultura.

A história do projeto começou em 2000 quando Guilherme criou o site ‘Curta o Curta’ de exibição de filmes online. Depois, em 2005, criou a distribuidora de mesmo nome e em 2007, realizou a primeira edição do ‘Curta no Almoço’. O curador espera receber em torno de mil pessoas até o fim desta edição do projeto.

Sobre o critério de escolha dos filmes, ele explica: “Escolhemos curtas cariocas, diferente das edições anteriores que tinham filmes do Brasil todo, porque a gente acredita que o público vá se identificar mais, e os colaboradores vão querer participar mais também.”

Quem gostou da ideia da mostra foi Laís Oliveira, 23 anos, estudante de publicidade que faz estágio em uma empresa no Centro. “Você poder apreciar um pouco de cultura perto do trabalho é uma forma de aliviar a tensão do dia e voltar melhor ao ritmo da rotina”, diz.


Com reportagem de Guilherme Guagliardi

Últimas de Diversão