Músico Sérgio Mendes lança canção dos Jogos Olímpicos com Baby e Flausino

‘Se Ligaê’, canção em homenagem aos Jogos Olímpicos chega às plataformas digitais nesta sexta-feira

Por O Dia

Rio - Pianista brasileiro radicado há décadas em Los Angeles, Sergio Mendes — um dos participantes de ‘Se Ligaê’, canção em homenagem aos Jogos Olímpicos que chega às plataformas digitais nesta sexta-feira — já une música e esporte faz tempo. O músico, que acompanha Baby do Brasil e Rogério Flausino (Jota Quest) na canção, compôs ‘Olímpia’ para a Olimpíada de 1984, nos Estados Unidos.

“E fiz também a trilha sonora do filme ‘Pelé’”, recorda. No álbum do filme dirigido por François Reichenbach sobre o Rei do futebol em 1977, Mendes gravou canções feitas por Pelé e pôs o jogador para cantar, um tanto desafinado, em várias faixas. “O Pelé é um atleta de alto nível. Eu sabia que cantar não era a especialidade dele. Mas ficou um resultado bem legal, ele foi muito simpático no estúdio”.

‘Se Ligaê’%2C canção em homenagem aos Jogos Olímpicos que chega às plataformas digitais amanhãDivulfação / Guto Costa

O tema oficial da passagem da Tocha Olímpica é ‘A Vida do Viajante’, de Luiz Gonzaga e Hervé Cordovil. Já ‘Se Ligaê’ é uma música composta por Pretinho da Serrinha, Rogê e Leandro Fab a pedido da empresa Musickeria, para celebrar os Jogos. “A música representa o espírito olímpico, tem a cara do Rio e foi um prazer estar com a Baby e o Flausino”, conta Sérgio.

Ele e Baby, por sinal, nasceram em Niterói (RJ). Mas nunca haviam trabalhado juntos. “Nasci lá, jogava bola na Praia de Icaraí”, recorda Sergio. “Só conheci a Baby e o Pepeu Gomes quando eles foram para Los Angeles e estiveram num jantar lá em casa. Naquele mesmo dia, eles tinham sido barrados na Disneylândia porque chamavam mais atenção que os brinquedos do parque. Me contaram a história, rimos muito e depois eles fizeram uma música sobre o assunto (‘Barrados na Disneylândia’)”.

Mendes foi ouvido durante cinco anos todo sábado na abertura do programa ‘Estrelas’, apresentado por Angélica (com a versão de ‘Mas Que Nada’, de Jorge BenJor, gravada por ele com o Black Eyed Peas). Suas vindas ao país têm sido bastante pontuais.

“Agora mesmo estou numa corrida enorme aqui, com entrevistas, tenho shows agendados lá fora... Mas gostaria de fazer uma turnê no Brasil. O Brasil 66 (grupo montado por Sergio na década de 60) está completando 50 anos em 2016 e quero comemorar. Seria um sonho poder fazer um show na Praia de Icaraí, por exemplo. O Beco das Garrafas, onde comecei a carreira, foi revitalizado e nem pude ir lá”, diz.


Últimas de Diversão