Chapéu conquista espaço no guarda-roupa e não deixa ninguém fora da aba

Público que usa chapéu tem idades variadas e a peça depende muito do perfil de cada um

Por O Dia

Rio - Foi só Camila Pitanga aparecer na novela ‘Velho Chico’ usando um chapéu com fita vermelha para diversas telespectadoras ligarem para a emissora atrás do mimo. Mas será que o acessório realmente caiu nas graças — e na cabeça — do público feminino? “Hoje, o chapéu é uma realidade que está crescendo. Há cinco anos, quando comecei a fazer, era muito mais complicado. As pessoas olhavam com estranheza. Agora, elas conhecem os nomes e já sabem o que querem. O público está mais informado”, observa a chapeleira Jomara Cid, que tem Wesley Safadão entre seus clientes.

O chapéu usado por Camila Pitanga%2C a Tereza de ‘Velho Chico’%2C da Globo%2C foi um dos itens mais solicitados pelos fãs da novelaDivulgação

O público que usa chapéu tem idades variadas e a peça depende muito do perfil de cada um. “Quando se é mais novo, você quer pertencer a algum grupo. Não quer sair muito da linha. Os jovens usam os chapéus mais urbanos. Mas quando você começa a se entender, a se olhar, e a maturidade chega, você usa o que gosta, o que se sente bem. E se sente mais seguro em usar peças mais clássicas”, salienta a chapeleira.

A própria Camila Pitanga é fã confessa do acessório. Vira e mexe ela posta fotos nas redes sociais com o adorno. “Eu amo chapéu! Tenho um preto que adoro usar pra sair à noite. No dia a dia, uso menos do que gostaria. Já meu pai usa de dia e de noite, acho muito elegante. Tenho vários chapéus Panamá de cor clara, com fita preta e fita branca. Tenho um preto estiloso, preferido do momento. Agora, o forte são os meus chapéus de proteger do sol, tenho pelo menos uns quatro”, conta.

Todo mundo sabe que televisão tem seu papel de difundir tendências. Mas é inegável a força da internet. A atriz Julia Faria reúne as duas potências. Ela está no ar como a it girl Estelinha em ‘Haja Coração’, da Globo, e é seguida no Instagram por mais de 599 mil pessoas. Além disso tudo, a loura é outra fã do adereço. “Sou enlouquecida com chapéu! Tenho de quase todas as cores”, diverte-se a atriz.

Para a chapeleira Jomara, as atrizes influenciam bastante o gosto das clientes. “Recebo muita cliente com pedidos de chapéus usados pela Julia e também pela Thaila Ayala. Mas acho que a Kate Middleton, mulher do príncipe William, é a grande responsável pela popularização da chapelaria no mundo. Ela usa criações de novos talentos, mesmo com a realeza tendo seus chapeleiros prediletos”, frisa Jomara.

No Brasil, Julia nem sabe quando começou seu caso de amor com o acessório. “Acho que já faz tanto tempo que não me lembro”, brinca. Para ela, o chapéu certo pode ser o suficiente no look da pessoa. “Inclusive, acho que com um bom chapéu você não precisa de mais nada. Usa uma camiseta branca e um jeans e já está cool”, sugere.

Wesley Safadão usa um Fedora de Jomara CidDivulgação

Em pleno inverno, Jomara indica o modelo Floppy como ideal para a estação. “Ele é um dos mais populares. Algumas pessoas gostam de usá-lo na praia, mas não recomendo muito, porque é feito de feltro e esquenta. O ideal para a praia é mesmo um chapéu de palha”. Camila acrescenta: “Em tempos de alta temperatura na cidade, uso mesmo os meus grandões com proteção UV. Os modelos Panamá são lindos, mas não protegem muito do sol. Seriam mais para compor o visual”. Já Julia faz uma ressalva: “Se for para algum lugar que venta muito, esquece! Nada pior do que ter que ficar segurando o chapéu na cabeça para não voar!”, pontua.

Thanara Schonardie

“O chapéu confere muito charme ao visual, ressaltando a feminilidade mesmo quando o modelo escolhido é masculino. Trata-se de um acessório que revela o estilo e imprime identidade. A escolha de qualquer peça de roupa ou acessório deve ser feita com o coração! Não existem erros quando um visual é composto dessa forma, de dentro para fora, em uma composição que reflete as emoções e sentimentos de quem usa. Seu olhar diante do espelho é quem dirá se os acessórios estão sendo usados em harmonia com sua verdade. Se após passar por sua própria avaliação, concluir que está feliz com o resultado, pouco importam regras e convenções estéticas impostas. Considero que o maior desafio hoje na escolha pelo que vestir é ousar expor sua verdade e vontade sem medos, com a consciência que críticas ao visual alheio são resultado de preconceito e falta de aceitação às diferenças”. 

Alguns tipos de chápeus

Chapéu Fedora / Panamá – Possui diversos estilos e tecidos. Quando feito de palha é popularmente conhecido como Panamá.

Chapéu Coco – É o que Charles Chaplin usava. Tem a copa redonda e linha curta. O modelo menor cai bem em festas.

Chapéu Palheta – É aquele chapéu muito usado em gafieira. Tem a copa bem reta e normalmente é feito de uma palha mais dura e estruturada.

Chapéu Cloche – Bem característico dos anos 20. O formato dele parece um sino. É mais feminino e vai do casual a festa formal.

Chapéu Pork Pie – É a modelagem do momento nas cabeças masculinas. Tem uma copa reta com entradas na lateral.

Chapéu Pillbox – É bem feminino e social. Jacqueline Kennedy, a ex-primeira-dama dos Estados Unidos, era fã deste formato. Ela usava um modelo rosa quando o marido, John F. Kennedy, foi assassinado em um atentado.

Últimas de Diversão