Por karilayn.areias
No palco%2C Tuca não veste um personagem e faz show de cara limpaDivulgação

Rio - O nome dele é José Ivaldo Gomes de Andrade Filho, mas ele é conhecido como Tuca Andrada. “O Tuca foi um apelido dado por uma babá. Acabou virando nome artístico. O Andrada veio da troca de uma letra, queria algo diferente”, diz o ator. A escolha deu certo.

Tuca já contabiliza 30 anos de carreira e sente-se preparado para desafios como o que vai viver no palco do Teatro Oi Casa Grande, no Leblon, hoje, às 21h30, e amanhã, às 17h e 19h30, no show ‘Orlando Silva — Nada Além’. “Vou cantar músicas desse grande cantor, mas desta vez sem personagem, como Tuca”, esclarece.

O ator, que já fez um espetáculo de sucesso sobre a vida de Orlando em 2004, volta a cantar canções do seu repertório, que foi um divisor de águas dentro da MPB, e influenciou artistas como João Gilberto e Caetano Veloso. “Reinterpreto algumas canções. Até porque, se tivesse a voz do Orlando, não perderia tempo como ator”, diverte-se.

Do repertório de 21 músicas, ele destaca canções como ‘Súplica’ e ‘Carinhoso’. “Nossa intenção é que as pessoas saiam emocionadas e felizes, por relembrarem os sucessos dele, que foi um gênio como Frank Sinatra e Billie Holiday”, diz Inez Viana, que dirige o show.

Tuca vê nas apresentações uma forma de declarar seu amor ao país. “A arte neste momento tem papel fundamental. Precisamos exaltar o que há de bom. Mas temos que falar, refletir”, afirma o ator, que também grava ‘A Lei do Amor’, próxima novela das 21h da Globo. “Faço o Misael, casado com a personagem da Emanuelle Araújo. Eles são apaixonados e têm três filhos. Resolveram me dar um bonzinho pra fazer”, ri.

Vivendo um pai preocupado na ficção, ele confessa que a paternidade é um desejo. “Tenho vontade de adotar. Venho pensando nisso”, revela.

Você pode gostar