A inclusão vai ao cinema no 'CINEEsporte'

Festival exibe em quatro pontos do Rio filmes sobre atletas paralímpicos

Por O Dia

Rio - Esporte e superação nas telonas. O festival ‘CINEEsporte’ vai exibir 33 filmes que contam a história de atletas paralímpicos, com sessões gratuitas de amanhã até domingo. Ao todo, a programação reúne 26 produções brasileiras e sete internacionais, que ocupam o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF), Cine Joia Copacabana e Ponto Cine Guadalupe.

As pessoas com deficiência auditiva ou visual podem assistir às seis sessões com a ajuda do ‘CINEAcesso’, aplicativo desenvolvido pelo Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital da Universidade Federal da Paraíba, que fornece audiodescrição e legendas acessíveis. Pode ser baixado gratuitamente e acessado no momento das exibições por meio de smartphones e tablets.

O velejador Lars Grael no longa ‘Irmãos Grael’Divulgação

“Com a proximidade dos Jogos, percebemos que era o momento de lançar essa mostra. O documentário ‘ParaTodos’, do Marcelo Mesquita, abre as exibições e traz histórias como a de Terezinha Guilhermina, velocista que está sempre se superando a cada competição diferente. E a do Ricardinho, jogador do futebol de 5 (praticado por atletas cegos) considerado como melhor do mundo”, diz Antônio Leal, curador e idealizador da mostra.

Outro destaque brasileiro é o filme ‘Irmãos Grael’, que conta a trajetória da família Schmidt Grael na vela. Entre os internacionais, destaca-se o documentário russo ‘Espírito em Movimento’. “É fantástico, muito empolgante. Entre os oito atletas do filme russo está o André Cintra, brasileiro que compete no snowboard, e foi o primeiro a participar de uma Paralimpíada de Inverno. Sofreu um acidente de moto com 17 anos, perdeu uma das pernas e procurou o esporte como forma de superar aquilo”, diz Antônio.

As sessões acessíveis acontecem na terça, quinta e sábado, às 15h, e na quarta, sexta e domingo, às 16h, e têm como objetivo levar os portadores de necessidades especiais às salas de cinema. “A gente tem que criar as ferramentas, convencer os distribuidores a deixar esses recursos disponíveis e convocar este público a ir às salas porque ainda hoje eles se sentem excluídos”, afirma Antônio. Confira a programação completa em www.cineesporte.com.

Reportagem do estagiário Guilherme Guagliardi

Últimas de Diversão