Disco, exposição e livro recordam Renato Russo

Álbum ‘Viva Renato Russo’ traz bandas novas relendo repertório do líder da Legião Urbana. ‘Faroeste Caboclo’ ficou com o Facção Caipira, banda revelada no ‘SuperStar’

Por O Dia

Rio - Muita gente gravou Renato Russo, mas reler ‘Faroeste Caboclo’, épico escrito por ele em 1979 e lançado pela Legião Urbana em 1987, é outra coisa. A história de João de Santo Cristo, repleta de dramaticidade e cortes cinematográficos, já havia sido regravada pelo Tianastácia em 2009. E agora é a vez do grupo niteroiense Facção Caipira encará-la na coletânea ‘Viva Renato Russo — 20 Anos’, com 12 bandas novas relendo o repertório da Legião. O disco foi realizado pela Legião Urbana Produções (comandada pelo filho de Renato, Giuliano Manfredini) e sai nas plataformas digitais em outubro, mês em que se completam 20 anos da morte de Renato.

Facção Caipira (Jan é o terceiro da esquerda)%3A três músicas em uma%3B abaixo%2C Renato Russo ao vivo Divulgação

"Brincamos com o humor da música, com os personagens”, conta Jan Santoro, vocalista do grupo, que participou do programa ‘SuperStar’ e protagonizou um momento curioso, quando a jurada Sandy confundiu a gaita do integrante Daniel Leon com um beatbox (bateria “de boca”, feita com o microfone próximo ao rosto). A releitura do Facção ficou com os mesmos nove minutos do original. “Fizemos a faixa soar como três músicas diferentes e chamamos o Dado Oliveira, vocalista da banda Pessoal da Nasa, para fazer as falas do João de Santo Cristo”.

O disco reúne grupos de todo o Brasil, alguns ainda escolhendo e gravando suas músicas. O time inclui Republica (que relê ‘Geração Coca-Cola’), Molho Negro (‘Tédio Com um T Bem Grande Pra Você’), Uh La La, Supercordas, Codinome Winchester, Baleia, Vespas Mandarinas, Selvagens À Procura de Lei. Há ainda as cantoras Duda Brack e Cris Botarelli (esta, do grupo potiguar Far From Alaska), e dois estrangeiros: a japonesa Tsubasa Imamura (‘Pais e Filhos’) e o espanhol Sepiurca Zukin.

Além do disco, tem mais. Dia 11 de outubro a peça ‘Renato Russo — O Musical’, com Bruce Gomlevsky no papel-título, retorna aos palcos no Theatro Net. A Universal vai lançar os cinco discos solo de Renato num box, e a Cia das Letras põe nas livrarias ainda este mês ‘The 42nd St. Band’, livro de ficção escrito por Renato aos 14 anos sobre uma banda imaginária, ambientado em Londres em 1974.

Para 2017, agenda-se uma exposição sobre Renato no Museu da Imagem e do Som de São Paulo. “Todo o material está em fase final do tratamento. São quilos de manuscritos, desenhos e fotos. A previsão é julho de 2017. Pensamos em fazer no Rio, mas o MIS carioca está em obras e não podíamos esperar”, conta Giuliano. Ele diz não ter assistido à turnê comemorativa de 30 anos do primeiro LP da Legião Urbana, comandada por Dado Villa-Lobos (guitarra) e Marcelo Bonfá (bateria). “Não há Legião sem Renato Russo, como dizia um amigo do meu pai”, acredita.

Últimas de Diversão