Por karilayn.areias
Paulão%3A voz%2C cordas e percussãoDivulgação

Rio - O Vespertina, evento de samba do restaurante Degustte, na Zona Portuária, completou um mês. E Paulão 7 Cordas, que comanda o show — e retorna nesta sexta ao palco, ao lado de vários convidados — já pode adiantar uma coisa para os próximos meses de evento: quem for lá que se prepare para só ouvir o samba tocado da maneira mais tradicional.

“Aqui não tem mela-cueca”, brinca o maestro de Zeca Pagodinho, que no Vespertina rege (ao violão de sete cordas) músicos como Julio Estrella (voz), Mingo Silva (voz e percussão) e Marcio Wanderley (cavaquinho), e nesta sexta convida amigos como Marquinhos Diniz, Leo Russo, Fabiano Salek (Sururu na Roda), Lula Matos e Andreia Caffé. “Não estamos a fim de tocar pagode nem samba moderninho. Nossa formação inclusive não propicia que a gente faça isso. Não colocamos teclado, nem baixo, por exemplo”.

O tradicionalismo também aparece no repertório, misturando sambas de várias gerações. Entre as músicas escolhidas há pérolas de Monarco, Alindo Cruz, Nei Lopes, Fundo de Quintal e Toninho Geraes. Paulão só lamenta que o evento tenha estreado num período complicado para quem trabalha com entretenimento no Rio.

“Iniciamos os trabalhos na época da Olimpíada e isso atrapalhou um pouco. Mas tem sido bacana e estamos precisando fazer o nosso samba, com nossa pegada. Todos no grupo cantam, contribuem com o show”, diz.

Você pode gostar