Por gabriela.mattos

Rio - As finais das disputas de sambas-enredos do Grupo Especial do Rio chegaram ao fim nesta semana. As 12 escolas já estão com as músicas definidas para o Carnaval de 2017. A Beija-Flor de Nilópolis foi a última a escolher a trilha. A Mangueira, campeã deste ano, falará sobre a forma como cada brasileiro lida com a religiosidade com o enredo ‘Só com a ajuda do santo’.

A Paraíso do Tuiuti, que subiu para o Grupo Especial este ano, fará uma homenagem ao movimento tropicalista com o enredo ‘Carnavaleidoscópio Tropifágico’, do carnavalesco Jack Vasconcelos. O desfile terá homenagens a personalidades da música brasileira e internacional.

A Acadêmicos do Grande Rio exaltará a cantora Ivete Sangalo com o enredo ‘Ivete do rio ao Rio’ e a Unidos da Tijuca quer animar a Sapucaí com a história ‘Música na alma, inspiração de uma nação’, uma história de ficção inspirada no encontro entre Pixinguinha e Louis Armstrong, em 1957, no Palácio Laranjeiras.

Para Luiz Antonio Simas, mestre em História da UFRJ e especialista em escolas de samba, o Carnaval do próximo ano será muito disputado, devido ao alto nível dos sambas escolhidos.

“Eu acho que é a melhor safra de músicas, que a gente tem em algum tempo. Há muito tempo, não tinha sambas-enredos tão bons assim”. Ele explica que o desempenho já vinha desde a disputa nas quadras. Na avaliação de Simas, sambas da Mocidade Independente de Padre Miguel e da Beija-Flor se destacam como possivelmente antológicos este ano.


Você pode gostar