Por bianca.lobianco

Rio - A televisão não deve, em circunstância nenhuma, abdicar do direito de inovar e ser mais arrojada em determinadas ocasiões.

‘Supermax’, ainda em cartaz nas noites de terça-feira, com toda certeza não foi um trabalho planejado para bater recordes de audiência ou chegar a registros históricos nas redes sociais. Desde a exibição do seu primeiro episódio, isso nunca aconteceu e muito provavelmente não será alcançado nem no último.

No entanto, chega a ser até ostensiva a determinação e o arrojo dos seus idealizadores em abrir um caminho novo para a teledramaturgia brasileira, que é o investimento em grandes séries, com doses bem colocadas de aventura, drama e ficção.

No caso de ‘Supermax’, o ponto de partida é um reality de confinamento, mas dentro de um presídio, com os seus personagens, o tempo todo, se debatendo com o inesperado. Experiência, que tanto no artístico ou no campo de produção, a televisão daqui nunca fez.
Mas uma missão que, sem grande estardalhaço, toda a sua equipe vai cumprindo com a maior dignidade. 

Única certeza

A situação da Band está tão complicada que não existe nenhum desenho de grade para o ano que vem. Como confirmação, além dos caça-palavras, apenas os programas das igrejas do Edir Macedo e R.R. Soares.

Outra exceção 

A direção da Band, em convenção realizada, bateu o martelo quanto à segunda temporada do ‘X Factor’. A atual terminará no dia 23 deste mês, ao vivo, nos estúdios da Quanta, mas já ficou definida uma próxima. Pelo menos isso. 

Enganação geral

A televisão, mais do que nunca, está virando uma terra de ninguém. Nunca foram tão descaradas as tentativas de tomar dinheiro dos desavisados e desesperados.
Além dos já proliferados caça-palavras, tem programa de igreja vendendo água milagrosa, “que cura qualquer doença”. Será que não existe ninguém, com autoridade suficiente, para colocar um fim nisso? 

Tudo certo

O elenco da Globo foi convocado para a gravação da tradicional mensagem de fim de ano neste domingo.

Todos se farão acompanhar de alguma pessoa próxima, porque a ideia é reforçar o conceito de família. Trabalho marcado para o começo da manhã.

Virar a página 

Todos conhecemos os problemas da Cultura e as suas dificuldades em trabalhar novos produtos, mas não há nada que justifique as repetições dos programas do Antônio Abujamra e da Inezita Barroso até agora. Os dois nos deixaram há mais de um ano. Sabemos também que não se trata de uma homenagem, mas falta do que colocar no lugar. 

Aposta no escuro

Bagunçou de vez a instalação do digital no país. Há um desentendimento entre as partes envolvidas: TVs, teles e governo. O desligamento do analógico em Brasília voltará a ser analisado dia 17. O Ibope apresentará novo levantamento com domicílios habilitados. 

Maratona

Hoje começa o Teleton, com transmissão do SBT e Cultura, além do apoio de várias emissoras de rádio. A produção do programa se surpreendeu com o elevado número de artistas interessados em participar da edição deste ano. Além do seu elevado propósito, as atrações são sempre interessantes.

Você pode gostar