Por tabata.uchoa
Nathália Dill diz que cachê não dobrou por fazer gêmeas em 'Rock Story'Divulgação

Rio - ‘Quando a gente ama, a gente acredita. Ninguém desconfia do próprio namorado, parceiro, amor. Quando a gente ama, vai de coração aberto. Ser enganado nunca é culpa da pessoa”, frisa Nathalia Dill, que em ‘Rock Story’ — novela das 19h, que estreia quarta-feira, na Globo — interpretará as gêmeas Júlia, a loura, e Lorena, a morena.

O dilema é que Júlia será enganada pelo namorado e, sem saber, tentará transportar cocaína — escondida em um urso de pelúcia — para o exterior e ganhará voz de prisão. “Acho injusto colocar a pessoa traída, ou enganada, como a culpada, ou a que errou. Ela não errou. Ela fez o mais lindo de todos, amou. O outro que errou. Quem tem que se restaurar, se reestruturar para a sociedade é o outro, não quem amou. Não temos que parar de amar e desconfiar de todo mundo”, defende a atriz.

AMOR NÃO TEM HORA
Com o mundo desmoronando, a loura foge da polícia — e dos capangas do namorado, Alex (Caio Paduan) — e invade o carro (e a vida) de Gui Santana (Vladimir Brichta), roqueiro com a carreira em decadência, que está se separando da mulher que ama, Diana (Alinne Moraes). E para completar, ele ainda descobre que o filho que teve antes do casamento, Zac (Nicolas Prattes), que só viu bebê, está preso e precisa de sua ajuda.

“O que acho mais bonito do amor é que ele não acontece quando está no momento propício, perfeito. Acontece em situações mais inusitadas. Quando as pessoas estão trabalhando, cheias de coisas, sofrendo, às vezes, a pessoa está com uma e se apaixona por outra”, define Nathalia Dill, que namora o também ator Sergio Guizé. Os dois se conheceram nos bastidores da novela ‘Alto Astral’, de 2014, quando interpretaram Laura e Caíque, o casal protagonista da trama. “O amor não tem momento certo, independe da idade, do gênero. A gente tem que corresponder”, completa.

SEM GANHAR EM DOBRO
Com as gravações da novela a todo vapor, é bem provável que você tenha a impressão de ter visto a atriz no ar recentemente. Não é impressão. É fato. Só este ano, Dill conseguiu a façanha de interpretar quatro personagens em um espaço de 11 meses na Globo. Começou em janeiro com uma participação em ‘Êta Mundo Bom!’. Depois, em abril, fez uma vilã, com pitadas cômicas, em ‘Liberdade, Liberdade’, e quarta-feira estreia como as gêmeas Júlia e Lorena em ‘Rock Story’.

“Foram convites irrecusáveis, trabalhos muito incríveis e nos quais acreditava muito. Acho que depois ninguém vai aguentar mais ver minha cara. Acho que nem eu (risos). Depois, sim, vou dar uma descansada”, conta ela, que pediu 20 dias de folga entre seu anterior e o atual trabalho. O cachê dobrou agora que interpreta duas personagens na mesma obra? “Não, mas não estou reclamando também, não”, conta, aos risos.

RUTH E RAQUEL
Diferentemente do maniqueísmo de gêmea boa e gêmea má, Júlia, a loura, uma professora de balé, será mais romântica, morando no Rio, enquanto Lorena, a morena, mais urbana e vive em Nova York. “Vi no Viva um pouco de ‘Mulheres de Areia’, com Ruth e Raquel. Não tem como não lembrar. Até porque era incrível, uma se disfarçava da outra, e a gente identificava quem era quem. Era maravilhoso”, lembra a atriz. Por enquanto, ela ainda não gravou cenas que precisasse de dublê de corpo, porque as irmãs moram em países diferentes e se comunicam apenas pela internet.

CANTA, DANÇA, TOCA PIANO, VIOLÃO, PANDEIRO
Com o passar do tempo, Júlia assume a identidade da irmã, ganha a confiança de Gui, se apaixona pelo amigo e ele fica confuso quanto ao que sente por ela. Paralelamente, a moça ajuda no plano dele para derrubar o rival, Léo Regis (Rafael Vitti), lançando uma boy band. Nathalia avisa que a princípio sua personagem não irá cantar. “Adoraria cantar. Adoro música. Por hobby, já fiz aula de canto, violão, piano. Toco instrumentos de percussão, como pandeiro. Eu teria uma banda. Eu e Sérgio (namorado) sempre tocamos juntos, temos vários projetos. Só não componho”, confessa.

AULAS DE BALÉ
Para compor Júlia, Nathalia voltou a fazer aulas de balé. A atriz faz dança desde os dois anos: balé clássico, jazz, ginástica rítmica... Mas, aos 9 anos, se revoltou e disse que não queria mais. Dez anos depois, voltou para o balé clássico e contemporâneo. “E foi uma cagada. Eu perdi todo o meu alongamento. Às vezes, as pessoas me encontram na rua e perguntam se sou bailarina ou se dancei porque tenho o pescoço comprido e a postura. Então, isso ficou”.

Para a novela não foi diferente. Dill teve que suar para relembrar tudo e com um diferencial: precisava aprender ainda a como dar aula de balé, já que Júlia é uma exímia professora de dança. “Estou me virando bem”, comemora. 

Você pode gostar