Por bianca.lobianco

Rio - Meu foco são as pessoas que estão na luta na arte, e que não têm muito espaço”, conta a cantora, atriz e dubladora Patrícia Ferrer, que faz o programa ‘Plugada Com Arte’, toda sexta, às 17h, na Rádio Roquette-Pinto FM. E aproveita a atração para cortar preconceitos em relação ao dia a dia da arte.

Patrícia dentro do estúdio da Roquette-Pinto FM%3A 'O foco é em quem luta pela arte'Divulgação

“Muitos têm uma imagem equivocada, glamourosa, do artista. Não sabem o trabalho que dá fazer um show, uma peça. E tem gente que quer que o artista trabalhe de graça!”, conta. No ar, ela recebe entrevistados que trabalham com artes (música, artes plásticas, livros, teatro) e comunicação, fala de eventos da cidade e inclui uma programação musical que valoriza canções não tão conhecidas da música brasileira. Sempre “de mãos dadas com o movimento artístico”, como diz o slogan da atração.

“Faço pensando nos ouvintes. Nenhuma música está ali por acaso. Costumo linkar tudo com o assunto do programa ou com o entrevistado. Penso em passar mensagens construtivas, de falar de civilidade”, conta Patrícia. Num programa, ela chegou a falar sobre as mensagens ofensivas que achou na web sobre os atores Domingos Montagner e Camila Pitanga, e sobre a responsabilidade de quem posta em redes sociais. Em outra edição, abriu o programa cantando ‘Simples Desejo’, do repertório de Luciana Mello, e ‘O Sol Nascerá’, de Cartola. “Acho que o programa cumpre uma missão que é de não apenas falar de arte, mas a de levar gente preocupada com o coletivo”, continua ela, que ao trabalhar numa peça, recebeu no camarim um casal fã do programa. “Eles foram na peça para me conhecer”, alegra-se.

Como atriz, ela recentemente esteve em cartaz com o musical ‘SamBra’, no qual se dividiu entre vários papéis (um deles foi o da sambista Clara Nunes). Estrela do musical durante as primeiras temporadas, o cantor Diogo Nogueira já esteve entre seus entrevistados, além do músico Fabiano Segalote, da cantora Patricia Mellodi e do escritor Cristiano Goldenberg.

“Minha forma de entrevistar tem a ver com minha personalidade. Sou descontraída, falo com todo mundo, faço amizade fácil”, conta Patrícia, à frente da atração desde 2011 (antes, dividia a apresentação do ‘Conexões Urbanas’, com José Júnior, do AfroReggae). 

Você pode gostar