Por bianca.lobianco

Rio - O poeta Jorge Salomão estava na noite de autógrafos de seu novo livro “Alguns poemas e + alguns”, em Ipanema, quando um ‘zumzum’ inesperado chamou sua atenção. Ao erguer os olhos, viu nada mais, nada menos que Caetano Veloso se aproximando. A visita foi uma surpresa. Os dois conversaram, entre outras coisas, sobre o filho de Salomão, João, que Caetano conhece desde criança. Seguindo os passos do pai, João abre uma nova exposição em dezembro, em Nova York. O poeta agora se prepara para novos projetos. Para o ano que vem, devem ser lançados dois CDs: um com composições suas gravadas por Cássia Eller, Adriana Calcanhoto, Barão Vermelho, entre outros; e um CD de poemas, ‘Cru Tecnológico’. Ainda durante o lançamento do seu novo livro, iniciou-se as gravações de um documentário sobre sua vida. “Estou aos 70 bombando”, brincou Salomão, aos risos. 

Vanessa para adultos...

Vanessa da Mata surpreendeu a plateia da LER, com seu look fashion e seu jeito de menina. Falando sobre o seu primeiro livro, revelou que sofre e chora pelo destino de seus personagens. E avisou: apesar do título ‘A Filha das Flores’, o romance é para adultos. “Tem muitas cenas picantes”, disse, rindo.

Mi Buenos Aires querida...

Zeca Camargo, supersimpático e falante, tirou selfies e distribuiu dicas sobre Paris, para uma plateia animadíssima na LER. ‘Eu Ando pelo Mundo: Paris’ é o primeiro e-book de uma série encomendada pela editora e-galáxia. O de Buenos Aires sai no ano que vem. Aliás, com gostinho de infância, já que a cidade foi sua primeira viagem internacional, ainda menino.

Estreia e aniversário...

A eterna musa Vera Fischer comemorou, discretamente, com poucos amigos, o seu aniversário de 65 anos. Tirou do closet uma peça que guardava a sete chaves para uma ocasião especial: um sapato Manolo Blahnik, comprado em Nova York. E falando em estreia, a atriz está muito empolgada com o novo espetáculo de teatro, ‘Ela É o Cara’, que vai estrear em janeiro, em São Paulo, após apresentações em cidades como Campinas e Salvador. 

Virado para a Lua...

Martinho da Vila, ao responder sobre sua vida na LER, que aconteceu no finde, contou que sempre teve sorte. “Nasci com o bumbum virado para a lua, de parteira”, disse, rindo. Lembrou que, na cidade em que nasceu, Duas Barras (MG), era costume as crianças, após o parto, serem colocadas na janela viradas para a lua. As que nasciam na minguante ficavam no quarto até a mudança da lua. Pois era sinal de azar!


Você pode gostar