Por tabata.uchoa
Mãe de Melinda%2C de 4 meses%2C Thais Fersoza já pensa em aumentar a famíliaDivulgação

Rio - Thais Fersoza está em sua terceira vilã consecutiva na Record. Depois de viver a mimada Patrícia, de ‘Vidas em Jogo’, e a ambiciosa Rosália, de ‘Dona Xepa’, agora a atriz vive uma sinhá assassina, a Maria Isabel em ‘Escrava Mãe’. “O perigo da vilã é virar vilã de desenho, fazer o estereótipo.O interessante é fazer uma vilã real, humanizada e não de desenho. É difícil”, confessa a atriz. É mais fácil interpretar mocinha? “Também é difícil pelo naturalismo sem ficar caricato, chato, bobo. Não é fácil fazer uma mocinha que encante, sem ser boba, chata, melosa, água com sal, o estereótipo da boazinha”, pontua.

CHICOTEAR ESCRAVOS
Parte dessa dificuldade toda enfrentada pela atriz estava nas cenas de sua atual personagem. É que muitas cenas fortes de humilhação são reservadas para a antagonista. “Sempre separei o pessoal do profissional, nunca me envolvi com as personagens. Mas no caso dessa novela, as cenas eram bem pesadas, como chicotear os escravos”, exemplifica. Segundo Fersoza, pesava ainda mais saber que essas situações fizeram parte da história brasileira e também mundial. “Foi difícil. Lá na hora, eu me concentrava na minha personagem e fazia o que ela tinha que fazer. Mas antes, enquanto lia as cenas, realmente me emocionava”, conta.

ORIGEM DO SOBRENOME
Em 2017, Fersoza completará 20 anos de carreira. Aliás, o sobrenome marcante da atriz é artístico, mas tem uma origem criativa. Quando pequena, Thais queria usar o sobrenome do pai, mas tinha medo de magoar a mãe e vice-versa. Foi quando a mãe deu a ideia. “Ela disse: ‘Vamos juntar os sobrenomes Fernandes Soares e Santos’. E acabou dando certo. Ficou um nome forte, marcante, de personalidade. Tem tudo a ver comigo, adotei para a vida. Já não sei como não ser a Thais Fersoza”, explica.

ORIGEM DA MALDADE
Na novela de Gustavo Reiz, Thais tem feito os telespectadores se contorcerem de raiva com as humilhações e ameaças de morte que sua personagem faz contra a mocinha, a escrava Juliana (Gabriela Moreyra). “Essa raiva vem da infância, desde que a mãe da Isabel acolheu a Juliana, a garota ganhou logo a amizade de Teresa (Roberta Gualda), irmã de Isabel. Depois, a sinhá cisma em ficar com Miguel, mas ele só tem olhos para a rival de Isabel. Aí, ela vê a Juliana como pedra no caminho, como se a Juliana sempre estivesse roubando o espaço que era dela. Acredito que seja meio que um trauma de infância”, justifica.

Aproximando-se da reta final da novela — o folhetim está todo gravado e termina no primeiro trimestre de 2017 —, a atriz desconversa quando questionada sobre o desfecho ideal para sua personagem. “Se eu pudesse, faria uma enquete para que o público dissesse o que deseja para Maria Isabel. Uma redenção? Morte? Ficar louca? Se dar bem?”

MÃE DA MELINDA
Mãe de primeira viagem — Thais e Michel Teló são pais de Melinda, de 4 meses —, foi no fim das gravações de ‘Escrava Mãe’ que a atriz soube que estava grávida. “A gente já queria ter engravidado antes, mas por causa de compromissos profissionais, resolvemos esperar um pouquinho mais para poder nos dedicarmos inteiramente, tanto a uma coisa quanto a outra”, conta a atriz, que se divide entre cuidados da pequena e acompanhar a trama.

A rotina da casa da família está toda esquematizada. Foi um desejo do casal para criar Melinda já dentro dessa organização. “A Melinda é um amor. Dei muita sorte, ela é uma menina tranquila. Dizem que, quando neném tem rotina, ele não se torna estressada, até porque sabe e está preparado para o que vai acontecer. Ela tem a hora de acordar, a hora de mamar, de brincar, de dormir, a hora do banho”, explica a mamãe.

MICHEL TELÓ
E como é o papai Michel? “É um paizão. Dá banho, troca fralda, brinca com ela, a distrai. É um superpai, muito participativo. Ela reconhece a voz dele, ele canta para ela, toca violão, piano, viola... É muito bonitinho. Eu fico babando, só curtindo os dois”, derrete-se. Tudo isso faz com que o casal pense em aumentar a família. “A gente tem vontade de dar um irmãozinho ou uma irmãzinha para Melinda. Tanto faz se vier menino ou menina, o que importa é que venha um neném saudável, abençoado. O resto é resto”, frisa.

RETORNO À TV
Por enquanto, Thais não tem planos de voltar ao trabalho e quer, merecidamente, só saber da filhota. Como está no ar em ‘Escrava Mãe’, ela terá um tempo de descanso de imagem e pretende usar cada segundo na companhia da herdeira. “Gostaria de poder aproveitar pelo menos até ela completar um ano”, confidencia.

Quando chegar a hora de voltar ao batente, a atriz explica que será interessante ver o que a maternidade mudou nela. Segundo Fersoza, a sensibilidade estará diferente. “A maturidade se transfere para as personagens. Depois que vira mãe, tem uma sensibilidade, um olhar diferente. Talvez isso transpareça na minha interpretação. Taí uma coisa que quando acontecer vou observar”, vibra. 

Você pode gostar