Por tabata.uchoa

Rio - Nesses dias de crise, a coluna abre um espaço para falar de amor. Os personagens desta hitória são o empresário André Ramos e o jornalista Bruno Chateaubriand. Juntos há 18 anos, dividem sonhos, paixões e uma rotina muito agitada! Festeiros e camaleões, acompanham bem unidos as mudanças da vida.

Bruno Chateaubriand e André Ramosarquivo pessoal


LILI: Como se conheceram?
A e B: Tínhamos 23 anos. Nos conhecemos através de amigos em comum. Resolvemos em semanas que iríamos morar juntos. E desde então dividimos a mesma casa. E somos uma família muito feliz!

Sofreram preconceito?
A e B: O preconceito é, na maioria das vezes, algo que vem nas entrelinhas. É perceptível e declarado quando pessoas do nosso convívio não acham normal que um casal gay tenha os mesmos direitos que um casal heterossexual. Ou quando uma pessoa fica chocada com uma manifestação de carinho pública entre pessoas do mesmo sexo. O beijo entre pessoas do mesmo sexo, por incrível que pareça, ainda choca muito. Isso, observo sempre.

Pretendem se casar?
A e B: Já somos uma família. Temos três cachorros, uma casa para cuidar e uma vida igual a de qualquer casal. Comemoramos nosso aniversário de feliz união todo o ano, dia 6 de dezembro.

Querem adotar ?
A e B: Temos três filhas. Charlote, Pommery e Celine. Uma golden e duas shitzu. Quem sabe adotaremos mais umas três? (risos).

São ciumentos?
A e B: O que significa essa palavra?

Já foi barrado?
B: Este ano, apresentei um evento no sul do Brasil. Fui barrado nos três dias de evento. Acho que todo mundo deveria ser barrado na vida. Nesse momento, você consegue observar a arrogância das pessoas. Humildade é tudo na vida. Existe algo mais cafona do que a frase “você sabe com quem está falando”? Voltando ao último momento barrado no baile... O segurança que me barrou ficou meu amigo. Ele foi exemplar!

Quem gostaria de ter em uma festa ?
B: O elenco do ‘Penetras’. Eles são impagáveis. Amei trabalhar com eles.

‘Penetras’? O que fizeram para entrar?
B: Tive a oportunidade de lidar com muitos penetras no filme que gravei este ano com o Eduardo Sterblitch e Danton Melo, ‘Os Penetras 2 — Quem Dá Mais?’, em breve estará em cartaz. Foi ótimo trabalhar com o craque Andrucha Waddington.

Novidades?
B: Estou trabalhando no filme sobre a vida do Diego Hypolito. A história desse nosso campeão é incrível. É cheia de conflitos, vai emocionar muita gente quando chegar aos cinemas de todo Brasil.

E a experiência no ‘Saltibum’, com um grupo mais jovem, 14 anos em média? Já está na final...
B: Calma, Lili. Ainda não estou na final. Espero conseguir. Tenho medo de altura e o programa está me ajudando muito a superar esse medo.

Dicas para quem quer assumir um relacionamento e não tem coragem.
A e B: O que vale na vida é ser feliz. Tudo passa muito rápido.

Tem festa de Réveillon este ano?
A e B: Sim, faremos na nossa casa como todos os anos...

Sonho?
B: Ajudar a Fiocruz a comprar todos os equipamentos para pesquisa do Zika Virus. E abrir um ginásio para crianças que não têm condições de pagar para praticar esporte.
A: Ter coragem de ser sempre mais feliz. Um sonho impossível: voltar no tempo e passar um dia com minha mãe. Um sonho material: um iate de 200 pés para colocar os amigos dentro e viajar muito. 

Você pode gostar