Acerola e Laranjinha: Eles estão de volta nas telonas

Após 12 anos, Douglas Silva e Darlan Cunha vivem novamente os amigos, que agora são pais, em 'Cidade dos Homens'

Por O Dia

Rio - Eles são negros, protagonistas, melhores amigos e descem as escadas de uma favela carioca. Se zoam, ao fundo toca funk, a câmera em movimento mostra a fiação exposta dos barracos. Um cachorro latindo e o trânsito frenético de mototáxi contrastam com a alegria da dupla. Se você lembrou de Acerola (Douglas Silva) e Laranjinha (Darlan Cunha), chegou perto. Trata-se de Clayton (Carlos Eduardo Jay) e Davi (Luan Pessoa), filhos de Acerola e Laranjinha, respectivamente, as novas estrelas de ‘Cidade dos Homens’, que após 12 anos volta ao ar em 17 de janeiro, na Globo, com quatro episódios. “Estou muito feliz com essa oportunidade”, diz Carlos Eduardo. “Foi bastante divertida toda a gravação”, acrescenta Luan.

Douglas Silva e Darlan Cunha vivem novamente os amigos Acerola e LaranzinhaMaurício Fidalgo / TV Globo

PAIS DE FAMÍLIA

Na história, Acerola e Laranjinha continuam grandes amigos e já são pais. Mas Davi, o filho de Laranjinha, tem um problema no coração, mas o pai não tem dinheiro para pagar o tratamento, enquanto o hospital público está um caos. “Sou pai de uma menina linda chamada Maria Flor, de 5 anos. Utilizei muito com o Cadu (Jay) o jeito paizão que tenho com ela, apesar da diferença na idade entre eles. Esse jeito eu emprestei para o Acerola até na hora de dar bronca”, conta Douglas. “Tenho bastante contato com filhos dos meus amigos”, afirma Darlan.

CENAS DE FLASHBACK

Um dos diferenciais da produção fica por conta dos flashbacks. Várias cenas das temporadas anteriores aparecerão sempre que um dos protagonistas lembrar de algum fato engraçado ou curioso do passado. “Para quem viu, vai rever e de uma forma turbinada por uma história original. E para quem nunca viu, já vai conhecer esses personagens com um passado e com um passado que foi feito por eles mesmos”, conta George Moura, que divide o roteiro com Daniel Adjafre. “Acho muito legal retomar uma série que foi emblemática para a televisão. Não só para a TV brasileira. ‘Cidade dos Homens’ é considerada uma das 100 melhores séries de todos os tempos”, completa Moura.

Laranzinha e Acelora Divulgação

PÚBLICO PEDIA PARA VOLTAR

A notícia da volta da produção pegou de surpresa principalmente seus protagonistas. “Não imaginava interpretar esse personagem de novo. É uma referência para gente, para as pessoas que conhecemos, os lugares onde nós nascemos e crescemos. A gente tem muito orgulho de interpretar esses personagens”, conta Darlan. O companheiro dele de cena engrossa o coro. “Foi bacana porque o público pedia muito a volta do ‘Cidade dos Homens’”, completa.

SELEÇÃO DOS ATORES MIRINS

Douglas Silva%2C Darlan Cunha e seus filhos na trama%3A Clayton (Carlos Eduardo Jay) e Davi (Luan Pessoa)Divulgação

Para chegar na dupla de atores mirins, a produção percorreu diversas escolas de teatro. “Não teve muito tempo como no filme ‘Cidade de Deus’, que foram seis meses de elenco, nós fizemos em um mês. Levamos um monte de molecada. Fomos fazendo uma triagem e chegando nesses dois talentos. Além de serem muito carismáticos, conseguiam ser espontâneos na frente da câmera, o que é muito raro em criança. Tiveram preparação de elenco com o Christian Duuvoort, mesmo preparador de elenco das temporadas antigas”, explica o diretor.

RETORNO POR E-MAIL

Foi pelo e-mail do diretor Fernando Meirelles que Douglas Silva soube que a série voltaria. “Ele soltou essa bomba aí”, brinca o ator, que no começo nem acreditou. Pouco tempo depois, Silva estava conhecendo a dupla de atores que interpreta os filhos de Acerola e Laranjinha. “Me vi muito neles, principalmente no Cadu, ainda mais no porte físico (risos). O moleque mandou bem. O Christian, nosso preparador, ajudou muito. Ele também me ajudou a entender em que momento estava mentalmente para interpretar de novo o Acerola. Mas esse é um tipo de personagem que já está impregnado. A gente deixa descansando, mas ele já volta, até porque a gente ficou bastante tempo com esses papéis”, afirma.

FORÇA DA AMIZADE

Para o roteirista Daniel Adjafre, o fôlego da produção está na força da amizade entre duas crianças. Isso faz com que o público torça e fique curioso para saber como os meninos, agora adultos, enfrentam questões do universo de gente grande. “Dá vontade de ver os dois velhinhos”, confidencia, aos risos.

Darlan conta que voltar a interpretar Laranjinha remete muito à amizade com Douglas, como eles se conheceram e tudo mais. “Os personagens dependem de como a gente interage no momento. A série acaba sendo boa para a nossa amizade, e a nossa amizade ajuda com o processo de se acostumar com a história. E antes de gravar, a gente está se zoando. É meio que isso é um exercício para a gente”, frisa. E o que achou do desempenho das crianças?

“Eles estão além. Os moleques são bem melhores do que nós quando começamos. Vão surfar a onda fácil”, prevê Darlan.

Últimas de Diversão