Regina Braga vive a mãe cega do vilão Ciro, em ‘A Lei do Amor’

A cegueira da personagem aparece em um tom poético, já que ela também não consegue 'enxergar' as maldades de seu filho querido

Por O Dia

Rio - Regina Braga ficou seis anos sem atuar em uma novela. O hiato que se arrastava desde ‘Ti-Ti-Ti’ chegou ao fim no início deste mês, quando ela entrou com tudo em ‘A Lei do Amor’. No folhetim da Globo, a atriz interpreta Silvia, mãe de Ciro (Thiago Lacerda), um dos vilões da trama das 21h.

O desafio de voltar à TV depois de tanto tempo atuando apenas no teatro foi somado ao fato de viver, pela primeira vez, uma pessoa com deficiência visual. A cegueira da personagem aparece em um tom poético, já que ela também não consegue “enxergar” as maldades de Ciro, seu filho querido.

Regina Braga vive a mãe cega do vilão Ciro%2C em ‘A Lei do Amor'Reprodução Internet

“A Silvia é uma mulher boa e acha que o filho também é”, conta a atriz, que nem fazia ideia de quanto tempo passou longe dos folhetins da emissora. “Seis anos? Tudo isso? Nossa! Mas o meu retorno está sendo ótimo, principalmente porque fui muito bem recebida e estou contracenando com Vera (Holtz) e Thiago (Lacerda), pessoas com quem eu já tinha intimidade”, revela a atriz.

Mãe na vida real de Gabriel Braga Nunes, ator que também brilha na Globo, Regina pretende carregar características da relação com o filho para a personagem fictícia, que é uma verdadeira mãezona. “A gente sempre leva alguma coisa da nossa vida para os personagens. Tenho muito orgulho do Gabriel. A Silvia também sente isso com o Ciro”, diz ela.

Humilde, a atriz garante que sempre é tempo de aprender e que a experiência adquirida ao longo da carreira não foi o suficiente para viver a mãe de Ciro. Desde que foi convidada para fazer parte da trama, Regina abdicou do tempo livre para compor Silvia. “Comecei a frequentar a Associação Brasileira de Assistência à Pessoa com Deficiência Visual (Instituto Laramara) e conheci muitas histórias que me inspiraram”, conta.

Em seu laboratório, ela notou que tinha uma visão errada dos deficientes visuais. “Pensava que eram tristes, mas vi muitas mulheres alegres, vaidosas. Elas estão sempre maquiadas e com as unhas feitas”, explica, feliz por estar em uma novela que aborda a política. “Sinto que estou fazendo a continuação do ‘Jornal Nacional’ (risos)”, brinca.

A DESCOBERTA DE VITÓRIA

Após descobrir o endereço de Silvia numa ONG para deficientes visuais e ainda ficar sabendo outros detalhes da vida dupla de Ciro, Vitória (Camila Morgado), que está esperando um filho do vilão, segue em sua busca para desvendar a vida dupla do marido. Ao encontrar a sogra, Vitória descobre ainda que o grande desejo de Silvia é ser avó.

“Eu não tenho netos... A Maria trabalha demais! Ela diz que ‘optou pela carreira’... E não me conformo!”, reclama Silvia, referindo-se a Magnólia (Vera Holtz), que se passa por mulher de Ciro.

Vitória vai passar a conviver com Silvia, para quem vai ler suas histórias preferidas, segundo o autor Vincent Villari, que escreve a novela com Maria Adelaide Amaral. "Espero que gostem da personagem e do meu trabalho. Estou fazendo com muito carinho”, afirma Regina Braga, que promete não deixar o teatro mesmo no ar com a novela. 

Reportagem de Bárbara Saryne, do Diário de S. Paulo / Agência O DIA 

Últimas de Diversão