Fresno lança sétimo disco

‘A Sinfonia de Tudo o Que Há’ traz “o poder da música”, dizem

Por O Dia

Rio - Para os gaúchos do Fresno, a música é mais do que um posto nas paradas de rádio. “Existe um poder nela, maior que dinheiro ou sucesso, que eleva o ser humano. Pode haver até uma situação de cura, mesmo”, crê o vocalista Lucas Silveira, que lança o sétimo disco da banda, ‘A Sinfonia de Tudo O Que Há’, ao lado de Thiago Guerra (bateria), Gustavo Mantovani (guitarra) e Mario Camelo (teclado).

Fresno (Lucas é o terceiro da esquerda)%3A grupo teve Caetano no discoDivulgação

Músicas como ‘Deixa Queimar’, ‘Canção Desastrada’ e ‘Axis Mundi’ trazem um ar mais conceitual (influenciado por bandas como Muse) ao som do Fresno. “Construí a história das letras em cima da ‘jornada do heroi’ (termo do antropólogo Joseph Campell, que costuma inspirar roteiros no cinema). O personagem tem um talento que nem ele mesmo sabe que tem, e a humanidade precisa que ele use esse dom a serviço dela”, conta Lucas. “E o cérebro dele opera numa frequência tão absurda que ele ouve o universo, e está em discordância com ele”.

Uma novidade para os fãs é a aparição de ninguém menos que Caetano Veloso cantando ‘Hoje Sou Trovão’. “Imaginamos o Caetano cantando a música. Numa época, ouvíamos muito o ‘Abraçaço’ (2012). Fizemos uma aproximação pela Paula Lavigne (empresária e mulher dele). Destrinchamos verso por verso da música e quando o conceito foi ficando claro, ele foi demonstrando interesse em participar”, recorda.

Últimas de Diversão