Gabily: pop com cara funk em EP

Cantora já fez som gospel e teve música incluída em filme

Por O Dia

Rio - Com um EP digital de quatro faixas — a inédita ‘Agora Eu Tô Solteira’, com participação do MC Maneirinho, ‘Não Enrola’, ‘Vale Tudo” e ‘Deixa Rolar’, em que canta com Mika (Micael Borges, ex-Melanina Carioca e Rebelde) — a carioca Gabily, 22 anos, surge sob produção de Umberto Tavares e Mãozinha.

Os currículos dos produtores incluem hits de Perlla, Ludmilla, Anitta, Bonde do Tigrão, e até sertanejos. Gabily prefere o termo “música pop” para definir seu som. “Posso ser pop, romântica, funk melody, r&b, cantar reggaeton. Acho até que já passou um pouco essa época em que se rotulava todo mundo como funkeira”, conta a menina, que pretende mostrar seu lado musicista em shows e discos.

Gabily%3A lado musicista%2C com violão em showsDivulgação

“Toco teclado, bateria, e violão em alguns momentos dos shows. Por isso até que a gente escolheu ‘Deixa Rolar’ para lançar o CD”, conta ela. Num cenário repetitivo e repleto de musas funkeiras, ela faz questão de enfatizar suas diferenças. “Acho que consigo agradar ao público que gosta de dançar e ao público que gosta de música lenta.

Consigo cantar numa balada e não deixar cair o ritmo. Se eu viesse com um funk melody, seria mais difícil fixar minha imagem. Mas acho que a galera já sacou que é uma cantora nova chamada Gabily, que não é a Ludmilla”.

Gospel

Gabily canta desde os quatro anos na igreja e gravou um CD gospel aos dez — há alguns vídeos dessa fase religiosa no YouTube, com seu nome verdadeiro, Gabriela Batista. Adolescente, seguia uma agenda de shows em festas de prefeituras e casamentos, já cantando música secular.

“Na maioria dos eventos, pediam esse repertório”, recorda ela, que tornou-se fã do Jota Quest. “Eu tinha um computador branco, com internet discada, e seguia a banda na internet. Ficava louca quando conseguia ver um vídeo deles”, recorda, rindo.

A música voltaria a ser um objetivo quando comemorou seu aniversário de 18 anos num show do grupo Tá Na Mente. “E eles chamam os aniversariantes para cantar no palco. Cantei ‘O que Passou, Passou’ com eles e me passou um filme na cabeça. Pensei: é o que eu quero da vida”. Um amigo gravou a performance de Gabily, ela pôs no YouTube e vieram compartilhamentos. E shows.

“Comecei a trabalhar com o produtor Betinho e ele enxergou potencial em mim”, recorda Gabily, que teve sua ‘Avisa o Baile’, gravada com o DJ Tubarão, incluída na trilha do filme ‘O Suburbano Sortudo’. Lançou o clipe de ‘Deixa Rolar’, contracenando com Mika, em quem dá altos beijos no vídeo (“rolou uma química forte, mas só para o trabalho”, conta Gabily). Na próxima terça, grava o lyric vídeo de ‘Agora Eu Tô Solteira’, com o MC Maneirinho. “E tô fazendo muitos shows, vamos ver se a galera consegue acompanhar tudo”, diz.

Últimas de Diversão