Por luana.benedito
Jean Paulo Campos em ‘Carinha de Anjo’. No detalhe%2C com a colega Maisa Silva Divulgação

São Paulo - Jean Paulo Campos cresceu e apareceu. Talento revelado em ‘Carrossel’ como Cirilo na novelinha exibida em 2012, no SBT, o garoto já está com 13 anos e é o queridinho da patroa Iris Abravanel, mulher de Silvio Santos. “Quando o ‘Cirilo’ chegou aqui, pequenininho, todo mundo falava que ele não ia decorar nada, que não ia falar no ar. Mas hoje, só de ver o olhar dele, eu explodo de alegria. É meu filho (risos)”, afirma a autora, orgulhosa.

Mesmo com os elogios, Jean não perde a humildade. Tímido, ele reconhece que é bem parecido com seu personagem em ‘Carinha de Anjo’, um menino simples e que vive no interior, o Zeca.

“Ele tem um brilho único. No início, é um pouco reservado, tímido. Mas acaba se soltando depois”, conta Jean. “Pareço com ele na timidez. Eu sou um pouco tímido, ou melhor, eu sou bem tímido para falar a verdade (risos)”, revela o menino.

Embora seja mais tranquilo, não é fácil ser o Zeca de ‘Carinha de Anjo’. “Ele toca violão e o sonho dele é ser um cantor profissional. Eu não sabia tocar nenhum instrumento, precisei fazer aulas”, conta ele, ao mostrar empenho nos bastidores do Complexo do Anhanguera.

“É um desafio e tanto cantar sertanejo de raiz. Eu fiz sete aulas com o nosso diretor musical, o Marquinhos, que faz as músicas das novelas do SBT desde a época de ‘Carrossel’. Foi muito legal. Ele me deu apoio para aprender rápido e com perfeição”, afirma.

Depois das aulas, no entanto, o desafio musical se tornou fichinha para Jean Paulo, que ao lado de Maisa recebeu a missão de trazer o público de ‘Carrossel’ e ‘Cúmplices de Um Resgate’, agora mais crescidinhos, para assistir à ‘Carinha de Anjo’. “Eles cresceram com a gente. E eu sei que estão assistindo ‘Carinha’ também. É uma responsabilidade saber que estamos aqui para atraí-los”, diz.

A parceria entre Jean Paulo e Maisa começou em ‘Carrossel’ e agora está mais do que firme, com direito até a beijo na boca. “Eles formam um casal na novela. Estar gravando com a Maisa me traz segurança porque ela é muito bacana, é uma ótima atriz. E a gente já tinha uma certa intimidade”, diz ele, que é só elogios à colega de trabalho. “Ela é muito divertida, traz um clima diferenciado para as gravações”.

Focado no trabalho, Jean Paulo adianta que o racismo também pode virar pauta de seu personagem. “Vamos falar um pouco sobre o tema, mas superficialmente”, entrega.

Reportagem de Bárbara Saryne do Diário de S.Paulo



Você pode gostar