Romulo Estrela fala sobre seu personagem em 'Novo Mundo': 'Articulador'

Ator dá vida ao português Francisco Gomes da Silva, o Chalaça, importante figura nos livros de história brasileira e na novela das 18h da Globo

Por O Dia

Romulo Estrela como ChalaçaDivulgação

Rio - Amigo devotado, ambicioso por natureza e um articulista sagaz. Essas eram só algumas das características que fizeram com que o ator Romulo Estrela se encantasse com o seu personagem, o português Francisco Gomes da Silva, o Chalaça, importante figura nos livros de história brasileira e na novela ‘Novo Mundo’, da Globo.

“Ele não servia apenas a Dom Pedro (Caio Castro), ele era um articulador da família real. Acredito que fez muito mais do que apenas ser um alcoviteiro. Acredito na amizade dos dois, acho que existia fidelidade entre eles. Agora, o Chalaça era de origem humilde e cresceu na vida porque tinha ambição”, defende Romulo.

DISCÓRDIA ENTRE OS AMIGOS

O único problema entre os dois amigos boêmios e conquistadores é justamente uma mulher. Ambos têm o gosto muito parecido. Quando Chalaça viaja para São Paulo e conhece Domitila (Agatha Moreira), ele tem a sensação de defendê-la do marido violento Felício (Bruce Gomlevsky) e se apaixona perdidamente por ela. Mas ela só pensa em ir para o Rio de Janeiro e se aproximar de Dom Pedro, que intercederia e impediria o processo em que ela é acusada de adultério e que tenta tirar os filhos da guarda dela. “Domitila é uma mulher obstinada, além de muito sedutora. Ela sabe usar muito bem as armas que tem para conquistar seus objetivos. Ele é um homem ambicioso e acaba se apaixonando perdidamente por ela. Esse envolvimento põe em risco a relação dele com Dom Pedro”, explica.

Caio Castro e Romulo Estrela em cenas de 'Novo Mundo'Divulgação

USADO POR DOMITILA

Conhecendo o gosto de Pedro por mulheres, Chalaça conta para o amigo que conheceu uma paulista, mas na hora de dar detalhes, diz que ela se chama Benedita (Larissa Bracher), que vem a ser a irmã de Domitila. “Ele tenta escondê-la de Dom Pedro a todo custo e consegue, mas logo em seguida seu segredo é descoberto. Isso acaba deixando-o muito vulnerável”, lamenta.

Em pouco tempo, a atração entre Domitila e Dom Pedro vira um notório caso de amor. Enquanto isso, Chalaça assiste à sua grande paixão cada vez mais envolvida nos braços do melhor amigo. “Ele se sente usado. Entende rapidamente que fazia parte do plano dela para chegar até Dom Pedro”, conta. O Chalaça tentará prejudicar o relacionamento dos dois? “Não sei dizer. Estou ansioso pra saber como isso vai se desenrolar”, diz.

VIDA PESSOAL

Aos 33 anos e casado com a empresária Nilma Quariguasi, Romulo conta que até onde sabe nunca passou por situação parecida de triângulo amoroso. “Acho que em uma situação como essa não tem muito o que se fazer, né?! É natural o despertar do sentimento, mas se este for unilateral, naturalmente ele irá deixar de existir também e nada vai acontecer”, frisa o ator maranhense.

EX-ATLETA DE JIU-JITSU

A composição do personagem foi um capítulo à parte. Além de ler o livro ‘O Chalaça’, de Roberto Torero, Romulo foi a Portugal para se familiarizar mais com o sotaque. “É muito mais difícil (fazer sotaque) do que eu imaginava, tive que correr atrás. Palavras são peculiarmente complicadas de pronunciar e fazer o sotaque exige um aquecimento específico antes de entrar em cena”, conta ele, que foi atleta de jiu-jitsu por cinco anos. “Nossos atletas, no geral, são muito pouco reconhecidos e apoiados, nossas confederações mal administradas, e não existe quase nenhum incentivo quando se está começando”, desabafa o faixa marrom.

PRIMOGÊNITO

Pai de primeira viagem — ele e a mulher são pais do pequeno Theo, de 10 meses —, o ator destaca que tem sido uma correria para colocar o herdeiro para dormir diante da rotina de gravação. Mesmo assim, ele faz sempre um esforço que vale muito a pena. “Tenho uma esposa muito companheira e isso deixa tudo mais fácil. Às vezes, só me resta um beijo e um cheiro nele já dormindo”, derrete-se o marido e pai coruja.

PROTAGONISMO

Desde sua estreia na novela ‘Da Cor do Pecado’, em 2004, Romulo ainda não viveu um protagonista na TV. Mas ele não tem pressa. “Eu penso que viver um protagonista exige maturidade profissional e isso acaba sendo consequência de um trabalho consistente e bem executado. Sou grato por todas as oportunidades que tive até aqui e sei que na hora certa isso vai acontecer”, torce.

Últimas de Diversão