Por tabata.uchoa

Rio - O universo vivido por Luke Skywalker (Mark Hamill), Princesa Leia (Carrie Fisher), Han Solo (Harrison Ford) e Darth Vader (David Prowse) completa quatro décadas hoje. Criado pelo cineasta George Lucas e cultuado por milhares de fãs, ‘Star Wars’ é uma das franquias mais bem-sucedidas da história do cinema. O último filme da saga, ‘O Despertar da Força’ (2015), arrecadou US$ 2 bilhões ao redor do mundo.

Coordenador do curso de cinema e audiovisual da ESPM,Pedro Curi explica a relevância do filme: “‘Star Wars’ é um marco. Não só narrativamente, mas como produto. A criação de um universo tão complexo é responsável por sua longevidade. Grandes lançamentos de hoje seguem a linha de raciocínio criado por George Lucas em 1977. O filme não morre na sala de cinema, ele contamina o mercado”.

Os protagonistas Harrison Ford%2C Carrie Fisher e Mark Hamill%3B e o vilão Darth VaderDivulgação

Outro ponto crucial para o sucesso da saga está na paixão das novas gerações. Foram lançados sete filmes, com um grande espaço de tempo entre eles — e a franquia passou de pai para filho. Um exemplo disso é Henrique Granado, um dos fundadores do Conselho Jedi, fã-clube de ‘Star Wars’. “Meu primeiro contato com a saga foi com os brinquedos. Nas férias, meu avô, um apaixonado por ficção científica, levou os netos para assistir ao primeiro filme da saga. Despertou essa paixão em mim que já dura 30 anos”, conta.

Com 15 mil fãs, o Conselho Jedi nasceu em 1999, após um dos fundadores, Phillippe Maia, mandar uma carta para um jornal solicitando que fãs entrassem em contato para trocar figurinhas. Dublador, Phillippe fez a voz em português do personagem Poe Dameron em ‘O Despertar da Força’. Os participantes do fã-clube organizam a ‘Jedicon’, que ganha nova edição no Rio nos dias 8 e 9 de julho, no Centro de Convenções Windsor do Barra Hotel, na Barra, e é a maior convenção nacional de fãs de ‘Star Wars’.

Cosplayers no evento ‘Jedicon’%3A fãs fantasiados de personagens da sagaDivulgação

Quem comparece nesta edição é o ator americano Billy Dee Williams, que viveu o personagem Lando Calrissian em ‘O Império Contra-Ataca’ e ‘O Retorno de Jedi’.

‘Star Wars’ foi inovadora em diversos sentidos. “George Lucas é fã de tecnologia e trouxe inovações em cada filme. Salas de cinema ao longo do mundo foram desenvolvidas para receber os filmes”, conta Curi. ‘O Despertar da Força’, produzido pela primeira vez pela Disney após a venda dos direitos autorais por parte de George Lucas, quebrou tabus. Pela primeira vez, uma mulher (Daisy Ridley, que faz Rey) protagoniza o filme, além de haver um personagem principal negro (Finn, interpretado por John Boyega). E os produtores falaram que seria possível a presença de um casal gay na saga.

Em dezembro, a história ganha mais um capítulo. “Para o novo filme, nosso medo são as mortes. Já perdemos o Han Solo (o personagem de Harrison Ford morreu em ‘O Despertar da Força’). E na vida real, a atriz Carrie Fisher (Princesa Leia) morreu. Mas estou animado”, conta Henrique. Se depender deste universo, a força vai estar com eles por mais 40 anos.

Reportagem da estagiária Bruna Motta

Você pode gostar