Festa Junina agita o Beco das Sardinhas

Neste domingo, a principal atração será com a Zabumba do Capitão, que tocará clássicos do forró, além de ritmos como o coco de Olinda, o pagode de viola e o boi do Maranhão

Por O Dia

Rio - Referência das festas juninas da cidade no início dos anos 70, o Morro da Conceição, no Centro do Rio, retomou, no ano passado, sua vocação para os festejos de junho, por iniciativa de Raphael Vidal, morador da comunidade e conhecido produtor cultural da área. O sucesso do projeto "Pois era noite de São João" foi tanto que a fanfarra ganhou a segunda edição neste ano, reunindo gente de toda a cidade num evento gratuito, na rua, que tem sido capaz de emocionar aqueles que escolhem o Beco das Sardinhas, local da festa, como seu programa de domingo.

Festa Junina no Beco das SardinhasDivulgação

"A gente vê, ali, uma cidade integrada. Os moradores do morro levam seus filhos, que brincam de corrida do saco, de dança das cadeiras com os filhos da galera da Zona Sul e da Zona Norte, numa convivência sadia que a gente raramente vê. É, literalmente, tudo junto e misturado. E todo mundo volta para casa feliz", diz Shikko Alves, cria do Morro da Conceição e que ajuda a botar o evento na rua junto com Vidal e demais moradores do Centro.

A integração não está só na hora da brincadeira, mas também na parte etílico-gastronômica, juntando barracas de microempresários que servem algumas das melhores cervejas artesanais da cidade com outras das comunidades da região, como a famosa batida de maracujá do Omar, no Morro do Pinto. As comidas típicas também têm origem e preços variados, com doces tchecos, salsichões alemães ou feitos na chapa, no Trailer do Tricolor, conhecido dos frequentadores dos sambas da Pedra do Sal, na Zona Portuária.

As atrações musicais variam a cada fim de semana. Neste domingo, a principal atração será com a Zabumba do Capitão, que tocará clássicos do forró, além de ritmos como o coco de Olinda, o pagode de viola e o boi do Maranhão, com a influência do Movimento Armorial e da Orquestra de Cordas de Pernambuco, que reinterpretavam estas manifestações, criando harmonizações, composições e orquestrações próprias. O Zabumba do Capitão bota no seu balaio de Xangai a Tião Carreiro, de Gramani a Mestre Salustiano, de Jacinto Silva a Chico Science, colocando todo mundo pra dançar. Na festa de encerramento, dia 25, o arrasta-pé fica por conta do Tambor de Cumba e show do paraense Silvan Galvão, no Arraiá do Pé da Ladeira da Conceição.

"Em todos os domingos, temos uma programação fixa, com imperdível aula do historiador Luiz Antônio Simas sobre cada santo junino, tem o Picadeiro Volante, com brincadeiras para crianças e adultos, um super bingo com dezenas de prêmios, além, claro, que casamento junino e quadrilha, que não é a do Cabral", brinca Vidal. 

Últimas de Diversão