Por tabata.uchoa

Rio - A música popular brasileira vai ganhar o palco do Theatro Municipal, hoje, às 21h, com a apresentação única do espetáculo ‘Um Certo Canto Brasileiro’. Criada pelo coreógrafo Anselmo Zolla, que está à frente da Studio3 Cia. de Dança, a peça mostrará ao público importantes canções que fizeram parte da cultura nacional.

Foram escolhidas músicas desde a época de ouro do rádio, na década de 1930, até os anos 1990. “Pontuamos grandes marcos da MPB. Vai de Jamelão, passando por Elis Regina e chegando a Tim Maia. Fiz questão que quase todas as gravações fossem as originais, suas primeiras versões. Seria impossível colocar todas as canções relevantes, mas escolhemos aquelas que marcaram uma geração”, conta Anselmo Zolla.

Dançarinos da companhia Studio3 em cenas do espetáculoDivulgação

Em São Paulo, a Studio3 Cia. de Dança já tinha iniciado o projeto quando Anselmo Zolla foi convidado pelo MASP (Museu de Arte de São Paulo) para desenvolver um espetáculo com certo tom erudito popular, capaz de resgatar a memória da MPB. Segundo Zolla, a apresentação na Avenida Paulista foi vista por cerca de 400 pessoas.

“O que foi interessante na criação foi que as músicas me deram o caminho do espetáculo”, conta o coreógrafo. A companhia de dança já representou o país em diversas cidades do mundo como Milão (Itália), Paris e Lyon (França), Lisboa e Porto (Portugal).

DUPLO SENTIDO
Um detalhe do espetáculo é o duplo sentido em torno do seu título. Segundo Zolla, o “canto” fala tanto de canção como de espaço. Feito de papelão ondulado e assinado por Antônio S. Lemes, o cenário é todo reciclável e atenta para a consciência ecológica.

‘Um Certo Canto Brasileiro’ foi criado para atrair todos os tipos de público e resgatar a cultura popular através de canções inesquecíveis. Por isso mesmo, o idealizador da peça fez questão que as apresentações tivessem preços acessíveis. “É uma boa hora para falarmos do Brasil. Estamos muito sofridos. Se eu elitizar a dança, vou estar me separando do público”, diz Zolla. Os ingressos para o espetáculo vão de R$ 36 (galeria) a R$ 100 (camarote).

Reportagem da estagiária Bruna Motta 

Você pode gostar