Mallu Magalhães fala sobre clipe e comentário que gerou polêmica racista

Morando em Lisboa com o músico Marcelo Camelo há quatro anos, a cantora lança novo CD, 'vem'

Por O Dia

Rio - Em seu quarto trabalho solo, Mallu Magalhães demonstra maturidade artística. ‘Vem’, lançado no início do mês, traz 12 faixas inéditas e autorais. “Acho que estou buscando uma identidade mais brasileira e vem à tona essas características. Isso acontece quando saímos e nos vemos em renovação”, reflete.

Ela diz ainda que esse trabalho a aproxima mais do público. “Não é sobre o meu mundinho, é sobre o nosso mundão. É um ‘tamo aí’ e um ‘vamo aí’ ao mesmo tempo”, define. “As canções de amor dominam o repertório. Tem a ver com meu momento, mas sempre fui romântica. Romantismo é você pensar e priorizar o amor. E ver a vida de uma maneira romântica, ver beleza nas coisas”, completa.

Mallu Magalhães no 'Encontro'Reprodução

Mallu está morando em Lisboa há quatro anos, com o músico Marcelo Camelo e a filha do casal, Luisa, de quase 2 anos, e nem de longe lembra a menina revelada em 2007, aos 15 anos, por meio da rede social MySpace.  “Na verdade, ficamos num pingue-pongue entre os dois países. Gosto do melhor de cada lugar”, diz. “A turnê deste disco começa em agosto no Brasil. Em Portugal, é a partir de setembro”.

A paulistana identifica o gosto por experimentar coisas diferentes, mas acredita que a sinceridade e autonomia no trabalho continuam presentes. “É a identidade dele: autoral, intenso e sensível”, traduz. Ela revela que compõe desde que “começou a escrever”, e diz que nestes dez anos de trajetória foi aprendendo a lidar com seus sentimentos. De fato, a imagem doce contrasta com a intensidade das suas palavras. “Acho que a fragilidade que enxergavam em mim vem justamente desta sinceridade toda, tão à mostra e tão despida. Hoje, faço o mesmo, mas vou fundo com mais confiança e segurança”, admite. “Fui ficando menos explosiva. Por ser muito sensível, tinha dificuldade de lidar com isso”.

MATERNIDADE
Juntos desde novembro de 2008, quando ela tinha apenas 16 anos e ele 30, Mallu e Marcelo Camelo se complementam no amor e artisticamente, como ela observa. “Amadurecemos a parceria. Sabemos onde é bom entrar, onde é bom o outro atuar. Entendemos essa jogada entre nós”, diz.

O casal nunca demonstrou se ficou incomodado com as críticas à diferença de idade entre eles. A pequena Luísa, nascida em Portugal, parece ter unido ainda mais os dois. “A chegada de um filho muda tudo. A maternidade tem um paradoxo de medo e coragem. Tem o sentimento de desespero selvagem de proteção em relação à cria, e também uma injeção de determinação, coragem e firmeza. Coisas opostas e complementares”, traduz a cantora. “Por enquanto, não pensamos em ter mais filhos. Ela acompanha a gente, e sempre que podemos estamos juntos”.

Será que Luísa vai seguir os passos dos pais? “Não sei. Mas ela é bem musical. Quando tocamos violão, ela faz a batida no instrumento. Gosta de música”, revela.

POLÊMICA
Sobre a recente polêmica envolvendo o videoclipe da música de trabalho, ‘Você Não Presta’ (nas imagens, a cantora dança em várias locações com um grupo de bailarinos negros, e nas redes sociais foi acusada de apropriação cultural e racismo), Mallu se diz decepcionada com a repercussão negativa. Ela se desculpou em nota, e afirma que, embora tenha a preocupação de ter nos seus trabalhos “ideais construtivos”, compreende que “o racismo ainda é, infelizmente, um problema estrutural e muito presente. Eu também o vejo, o rejeito e o combato”.

Na semana passada, a cantora esteve em um programa de TV e declarou antes de cantar: “Essa também é para quem é preconceituoso e diz que branco não pode tocar samba”. Ela confessa que se sentiu incompreendida. “Mas acho que é mais uma discussão que merece minha atenção, um espaço de debate para as pessoas aprenderem e se tornarem melhores”, desabafa.

Últimas de Diversão