Riachão: o samba da Bahia vai à Caixa Cultural

Aos 95 anos, compositor de ‘Vá Morar Com o Diabo’, gravada por Cássia Eller, faz seis shows no Rio em agosto

Por O Dia

Aos 95 anos%2C Riachão faz seis shows no Rio em agostoDivulgação

Rio - “Se o samba tem 100 anos, Riachão só perdeu cinco deles”, brinca Paulinho Timor, um dos integrantes do grupo paulistano de samba Bambas de Sampa, que acompanha o veterano sambista baiano Riachão, 95 anos, de 3 a 6 de agosto (quinta a domingo), no teatro da Caixa Cultural. Os shows são às 19h e os ingressos custam R$ 20.

Riachão foi o primeiro compositor da Bahia a ser gravado no Rio de Janeiro após Dorival Caymmi, ainda na década de 1950. E clássicos seus tornaram-se famosos nas vozes de outros artistas, como ‘Vá Morar Com O Diabo’, gravada por Cássia Eller; e ‘Cada Macaco No Seu Galho’, que virou sucesso nos anos 1970 na interpretação em dupla de Gilberto Gil e Caetano Veloso. Artistas como Dona Ivone Lara, Beth Carvalho e Zélia Duncan também gravaram músicas do compositor.

O sambista nasceu com o nome de Clementino Rodrigues — o apelido Riachão surgiu porque era muito brigão e os amigos sempre diziam que ele era um “riachão que não se podia atravessar”. O grupo Os Bambas de Sampa, que se apresenta com ele, montou um projeto para resgatar sua obra, ‘Valeu, Riachão’, do qual surgiu o show que vem agora para o Rio. A turnê de Riachão já havia passado por Curitiba e, após vir ao Rio, vai para São Paulo, com apresentações nos dias 27, 28 e 29 de outubro. 


Últimas de Diversão