Miss Brasil Monalysa Alcântara deseja representar todas as mulheres brasileiras

Ela também pretende usar a visibilidade para trabalhar com moda e planeja ajudar a família

Por O Dia

Rio - Com apenas 18 anos, a vencedora do Miss Brasil BE Emotion 2017 já sabe bem o que quer. Monalysa Alcântara, nascida no Piauí, foi eleita a mulher mais bonita do Brasil no último sábado, recebendo a coroa das mãos de Raissa Santana. Ela se tornou a terceira miss Brasil negra, e a segunda consecutiva. Raissa, sua antecessora, ganhou no ano passado após um jejum de 30 anos - já que a primeira foi a gaúcha Deise Nunes, em 1986. Muito emocionada com a conquista, Monalysa lembra com empolgação o instante do anúncio. "Eu realmente sonhei com aquilo e foi o momento mais feliz da minha vida, não tenho nem palavras para descrever o sentimento! É realmente um sonho!", confessa.

Aos 18 anos%2C Miss Brasil Monalysa Alcântara deseja representar todas as mulheres brasileirasMaristela Colucci

Ela desbancou 26 candidatas de outros estados, mas fala das concorrentes com generosidade. "Todas as meninas que estavam ali exaltam a brasilidade. O Brasil é um país onde existe diversidade de raças, e são todas muito lindas! Somos muito ricos em diversidade", afirma. A vencedora do concurso sabe que o título traz representatividade, mas não acredita que uma mulher represente melhor todas as outras. "Também não existe uma região ou cor de pele que faça isso melhor. Somos todos uma mistura de raças e regiões, e eu represento não só a mulher negra e nordestina, mas todas as mulheres brasileiras que lutam para vencer as adversidades com um gingado irreverente. Represento também a resistência. Tentei mostrar a força, carisma, ousadia, determinação que toda mulher brasileira tem. Isso é ter brasilidade", finaliza.

RACISTAS NÃO PASSARÃO

Após sua vitória, a piauiense sofreu ataques racistas na internet. Mas isso não acabou com a alegria de ver seu sonho realizado. "Dei ainda mais representatividade para a mulher negra. Estou encantada e orgulhosa em fazer parte dessa história não só da mulher negra no miss Brasil, mas também de ser a primeira Miss Piauí a conquistar o concurso", diz. "Sobre os ataques, lamento que tenham acontecido e realmente já esperava. Mas estou tentando viver esse sonho! Tanta coisa boa acontecendo na minha vida, que nada disso vai me tirar essa paz e felicidade".

Aos 18 anos%2C Miss Brasil Monalysa Alcântara deseja representar todas as mulheres brasileirasMaristela Colucci

Monalysa continua falando sobre o assunto, com muita maturidade para a pouca idade e um discurso que vai além do palco do Miss Brasil. "Não me deixo contaminar com essa energia ruim, preconceituosa e mesquinha. Estou em um momento muito importante da minha vida, fazendo história não só no Brasil, mas no meu Piauí. Todos esses ataques, só mostram que o racismo existe, sim, e não é velado. Precisamos combater", reflete. "Quando sofri racismo antes, também foi chocante, mas superei porque sei que isso não é honesto e nem humano. Aprendi a não me deixar abalar e enxergar que somos todos iguais".

Ela observa que o racismo, ainda tão presente em nossa sociedade, só fortalece seu desejo de continuar lutando pela igualdade racial, como mencionou no discurso da vitória. "Tudo isso só prova que a luta deve ser reconhecida e falada, merece isso. Não só por mim, mas por todo o país. Acredito no meu potencial, lutei muito para ser Miss Brasil. Acredito que posso ser espelho para as meninas mais novas. Quero passar para elas que, quando sabemos quem somos de verdade, os obstáculos são mais fáceis de serem superados. Posso inspirar outras pessoas a entenderem que o racismo é um erro. Somos todos iguais"

VIVENDO O SONHO

Monalysa conta que a fé em si mesma é um hábito estimulado no ambiente familiar. "Sempre confiei no meu trabalho e procurei me preparar ao máximo para ter segurança em todos os sentidos. Todo esse foco me deu autoconfiança. Tive esperança de que venceria o tempo todo, e isso sempre me moveu", revela. Ela está prestes a representar o país no Miss Universo, que acontece em 26 de novembro nos Estados Unidos. "Minha preparação tem sido intensa e vou lutar para representar muito bem meu país", garante.

Ela conta ainda que sua rotina mudou completamente desde o último sábado: "A vida está muito agitada! Sou reconhecida na rua, recebo mensagens carinhosas o tempo todo. Estou muito feliz e realizada. É tudo muito novo. Estou aprendendo a lidar com esse amor e quero muito retribuir".

A miss Brasil ressalta que não vive seu sonho sozinha. "Minha família está feliz com tudo! A realização do meu sonho significa que estou realizando o deles também. Somos eu, minha mãe, Elda, minha irmã e um irmão. Meu pai faleceu quando eu tinha 5 anos", revela. "Passamos por momentos difíceis, mas sempre buscamos viver em paz e com dignidade. Comecei a trabalhar como modelo aos 14 anos e, a partir daí, meu sonho começou a se transformar e criar força", completa.

FUTURO NA MODA

Do alto do seu 1,77m e 57kg, Monalysa é discreta sobre a vida pessoal. "Estou namorando. Posso dizer que recebi todo apoio, amor e carinho que precisava neste momento", conta, sem dizer o nome do eleito e dar mais detalhes. A participação em concursos de miss começou há um ano, quando ela entendeu que este poderia ser também um caminho para as passarelas. "Participei do Miss Piauí Teen e ganhei o concurso em 2016. Entendi que ser miss gera uma visibilidade e eu poderia trabalhar com moda, que é algo que gosto".

Sonhar, aliás, é o verbo que a jovem miss mais conjugou nesta entrevista. E ela sonha alto. "Quero trabalhar com moda, continuar sendo modelo. Ser reconhecida mundialmente e, quem sabe, ser uma 'Angel' (como são chamadas as modelos da marca americana de lingerie e produtos de beleza Victoria's Secret). Seria um sonho!", confidencia, acrescentando outros planos: "Quero comprar uma casa para minha família, ajudar a minha maninha a ter uma boa formação. E continuar trabalhando como modelo para grandes marcas, ter reconhecimento e viajar pelo mundo". 

Últimas de Diversão