Fernanda Montenegro comanda novo quadro do 'Fantástico' sobre Nelson Rodrigues

'A minha geração sempre soube que ele era um gênio', diz a atriz

Por O Dia

Rio - "Não há um momento na história do teatro contemporâneo brasileiro que não se esteja em algum lugar desse país fazendo Nelson Rodrigues no palco", resume Fernanda Montenegro, 87 anos, que ao lado de Otávio Müller, 52, estreia hoje a série 'Nelson - Por Ele Mesmo', no 'Fantástico', da Globo.

Fernanda Montenegro comanda novo quadro do 'Fantástico' sobre Nelson RodriguesReprodução

"Um homem extraordinário, que nos dá material para fazer esse tipo de trabalho. Um homem que depois de morto, o Brasil conceituou que é um gênio. A minha geração sempre soube que ele era um gênio", completa a atriz, que há quatro anos viaja pelo Brasil fazendo leituras de textos do dramaturgo. Para o ator Otávio Müller, uma das missões da série é divulgar as ideias e pensamentos de Nelson Rodrigues. "Para quem faz teatro, falar do Nelson é muito importante. Ter esse projeto no 'Fantástico' é uma realização", atesta.

DINÂMICA DA SÉRIE

Na produção, Fernanda orienta a interpretação de Otávio em seis episódios baseados nas crônicas do livro 'Nelson Rodrigues - Por Ele Mesmo', organizado por Sonia Rodrigues, filha do dramaturgo.

"A série foi gravada de maneira documental. Tivemos duas equipes trabalhando simultaneamente no set: uma gravando o Otávio Müller e outra na Fernanda, captando os bastidores", explica o diretor João Jardim.

Esses momentos se alternam na edição e são mesclados ainda às imagens reais de Nelson cedidas pela família, bem como às de Fernanda e Otávio fora do estúdio, nos ensaios e em discussões sobre o projeto, e dos atores com os diretores e a figurinista.

RICAS CENICAMENTE

A atriz, que foi amiga de Nelson por sete anos, faz questão de pontuar a importância do autor para a dramaturgia e salienta as personagens favoritas dela. "Tem a Geni, de 'Toda Nudez Será Castigada'. A própria Alaíde, de 'Vestido de Noiva'. Eu fico nessas duas. Porque as mulheres do Nelson são muito ricas e poderosas cenicamente. Muito mais do que os homens", pontua Fernanda.

ESCOLHA DOS TEXTOS

A escolha dos textos encenados na série do 'Fantástico' teve curadoria da própria Fernanda Montenegro. "Eu tenho a obra do Nelson quase toda em casa. Reli o que eu pude de 'A Vida Como Ela É', das crônicas de futebol, do memorialista que ele é, do alto cronista que ele é. De cada grupo eu tirei dez crônicas e passei para o Geraldinho Carneiro (Geraldo Carneiro, responsável pela adaptação para a TV)", conta.

DESABAFO POLÍTICO

Diante da crise política que vive o país, Fernanda tem a impressão de que, se Nelson estivesse vivo, ele estaria insatisfeito como todos os brasileiros, principalmente com o descaso com a cultura. "Você não ter saneamento básico é um tipo de cultura, não ter boas escolas, bons hospitais é um tipo de cultura. Tudo é cultura. O que a gente come é cultura. O que a gente lê é cultura. O que vemos na TV, o programa que você escolhe é um tipo de cultura ao qual você está ligado. A cultura é o próprio país. Todo país que tem respeito à sua cultura nos mais diversos espaços é um país. Enquanto o Brasil não entender isso, culturalmente vivido e atento, não temos um país", desabafa a intérprete.

Apesar da proximidade dos 90 anos, Fernanda mostra vitalidade e força para não parar de trabalhar. "Claro que não tenho mais 50, 60 ou 70. Vou para 88 - ela faz aniversário dia 16 de outubro. Trabalho com prazer", atesta.

PENA DE MORRER

A única coisa que tira um pouco o brilho no olhar da veterana atriz é quando o assunto é a morte. "Penso na finitude, que está perto. Tenho menos tempo diante de tudo o que já passou. Se assusta? Bem, não é uma festa. Na hora de ir, eu vou ter pena. Eu gosto da vida. O que posso fazer? Não foi fácil, mas eu gosto da vida. Tenho pena de morrer. Mas seja o que Deus quiser", diz, com um leve sorriso.

Últimas de Diversão