Youtuber Lucas Neto acumula 7,6 milhões de inscritos em seu canal

Lucas posta vídeos divertidos todos os dias e diz que não consegue ficar offline

Por O Dia

Rio - Imagina fazer tudo que você sempre sonhou - e que sua mãe proibia -, gravar tudo, colocar na internet, atrair milhões de interessados e ganhar muito dinheiro com isso. Em um ano e meio de existência, o canal de Luccas Neto, de 25 anos, no YouTube atingiu a marca de 7,6 milhões de inscritos ávidos pelos divertidos vídeos envolvendo muita comida e bastante brinquedos.

"Não consigo ficar off-line. Desativo as notificações, senão fico louco. Ganho em média entre 25 mil e 30 mil inscritos diários (risos). A meta até o fim do ano era 5 milhões. Agora, estou em busca de 10 milhões", torce.

Lucas Neto não consegue ficar offlineMárcio Mercante / Agência O Dia

SONHO

Carioca do Engenho Novo, na Zona Norte do Rio de Janeiro, Luccas está morando com o irmão, o também youtuber, Felipe Neto, de 29 anos, em uma mansão de 1.300m² na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. "É muito complicado gravar na casa porque me sinto na Disney e quero brincar. Mas eu faço muita besteira lá, preciso me controlar muito, fico como uma criança sem a mãe por perto", entrega o caçula.

RESPONSABILIDADES

O público majoritário de Luccas tem entre 2 e 8 anos e se diverte com vídeos que mostram desde um banho com 80 kg de Nutella em uma banheira, a feitura de um brigadeiro gigante com 600 brigadeiros, uma guerra de bexiga cheia de chocolate ou de tinta, entre outros. "(No vídeo) não é um personagem. Sou muito criança. Mas o YouTube não virou só fazer vídeo e se divertir. A gente mantém famílias. Os funcionários têm que levar comida para casa. A gente gerou emprego. É muita responsabilidade, muita", conta. "No início, a gente já passou grandes perrengues, em que o mês não fechava e tirava do nosso para pagar funcionário", recorda-se.

NÚMEROS

Só para se ter uma ideia do sucesso, em dezembro de 2016, Luccas tinha 20 milhões de visualizações/mês e não imaginava que conseguiria aumentar o número. O mesmo pensamento se repetiu quando alcançou 60 milhões de visualizações mensais. "Agora, faço 140 milhões de visualizações", orgulha-se.

HISTÓRIA

Para entender melhor esse fenômeno, é preciso voltar um pouco no tempo. Há oito anos, Luccas Neto e o irmão, Felipe, descobriam o que era o YouTube. "Ele (Felipe) começou a fazer os vídeos, e eram bem ruins e chatos. Mas a gente não tinha experiência. O YouTube só existia em 360p - resolução de baixa qualidade de imagem -, não existia HD. A gente não sabia o que poderia funcionar ou não. Só que, com o tempo, o meu irmão começou a crescer muito", conta. O ápice foi quando atingiram a marca de 10 mil visualizações - hoje, Felipe faz 160 milhões de visualizações mensais. "A gente falou: 'caraca, está dando certo'", lembra, aos risos.

IMERSÃO

Enquanto o irmão mais velho cuidava da edição, Luccas ajudava com os textos e a produção ("Eu adorava", diz). Felipe despontou ainda mais, abriu uma empresa, e Luccas cuidava do conteúdo, da publicidade e campanhas para clientes e agências. "A minha vida inteira foi consumir YouTube. Não existe faculdade de YouTube ainda, um dia ainda vai existir, mas eu assistia ao YouTube 10 horas por dia. E não era só no Brasil, não, de qualquer lugar do mundo", entrega.

EMPREENDEDOR

Há um ano e meio, Felipe vendeu a empresa. Com o tempo ocioso, Luccas queria criar, mas não tinha mais empresas para fazer conteúdo. Foi então que ele empreendeu. "Vou criar o meu canal. E em um ano e meio, virei o canal que mais cresce no Brasil inteiro. Nada é por acaso, com muito estudo e muita raça", reforça o jovem, que fez até o sexto período de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda. "Não penso em voltar para a faculdade. Não tem nada de internet lá. Eu acho errado. Hoje em dia, o meu tempo é muito precioso. Tenho uma relação de amor e ódio com o sono. O dia podia ter 50 horas. Então, prefiro focar 100% na internet, que é com que eu vivo", acrescenta Luccas.

PARCERIA

O canal cresceu como o youtuber nem imaginava. "Eu tinha 300 mil inscritos e fui para 1 milhão. A galera comentava: 'Nossa, ele tem a voz do Felipe Neto. Ele é parente do Felipe?'", diverte-se. Quando questionado se teve alguma participação do irmão famoso no sucesso do canal, Luccas é direto. "Tinha incentivo dele. Ele me ajudava em ideias. E é recíproco. A gente está sempre trocando", frisa.

TAKE4 CONTENT

Luccas se associou a João Pedro Paes Leme, ex-diretor de conteúdo da Globo, e Cassiano Scarambone, produtor com mais de quatro mil filmes no currículo. O trio está à frente da agência Take4 Content, dedicada à produção, curadoria e distribuição de conteúdo para influenciadores digitais. "A Take4 profissionalizou o nosso trabalho. A gente fez muito vídeo que, com certeza sozinho, não teria potencial para fazer. Tipo com escalada, descer a casa com rapel, vídeo com drone, são superproduções muito difíceis que precisam de uma logística muito grande. A gente faz lives muito profissionais que precisam de bons diretores e toda experiência da Take4", pontua Luccas, que com o irmão, Felipe Neto, são os carros-chefe da empresa, e eles têm 30 profissionais para auxiliá-los. Foi estratégia da empresa a criação do canal Irmãos Neto. "Em 24h, pegamos um milhão de inscritos. É um recorde mundial", comemora.