Flávio Ricco: Record trata Gugu, Xuxa e Faro com certo desprezo

Emissora está sempre deixando para o último momento as renovações de contratos de alguns dos seus mais importantes artistas

Por O Dia

Rio - Porque a sua direção decidiu assim, a Record está sempre deixando para o último momento as renovações de contratos de alguns dos seus mais importantes artistas. O Gugu, por enquanto, tem aparecido como assunto mais comentado, mas existem outros tantos, no mesmo grau de importância que ele, até agora com situações absolutamente indefinidas a partir do ano que vem.

Rodrigo Faro e Xuxa, por exemplo, entre os mais graves.

O falatório em cima e a própria folha de serviços prestados por cada um indicam para a simples continuidade de todos, porém, essa estratégia de sempre deixar tudo para a última hora pode ser vista ou recebida até como falta de respeito.

Fora os riscos que esta desdenhosa maneira de proceder significam. A Record não está livre de um deles resolver dar um outro rumo na vida. Até para a saúde de ninguém isso faz bem.

Cuidado de sempre

Neste momento que o país atravessa, Globo, Record e SBT, entre as principais, passaram a calcular muito mais os seus avanços na área de produção. Todo e qualquer tropeço pode ser fatal. Torna-se necessário, antes de tudo, saber o que cabe ou não no bolso dos anunciantes.

Momento complicado

Ao encontro disso, na terça-feira, estourou a esperada notícia do enxugamento no esporte da Globo e SporTV, por extensão. E a Band, vindo a confirmar sua presença na Copa da Rússia, pode ter certeza, fará a cobertura mais enxuta da sua história.

Detalhe

Até por motivos geográficos, com sedes muito distantes umas das outras, não só as emissoras do Brasil, mas do mundo inteiro, forçosamente terão que montar uma logística diferente para a transmissão da Copa do Mundo, na Rússia, ano que vem. País com a maior área do planeta, ele também tem 11 fusos horários diferentes.

Faz a conta

Se será impossível deslocar equipes para transmitir os jogos das diversas chaves, natural que todas as emissoras, as daqui e as de fora, economizem no envio de profissionais.

Fazer tudo no Centro de Imprensa ou nos estúdios do Brasil o resultado será o mesmo. 

Bastidor

A não escalação do Denílson em nenhum dos jogos transmitidos nesta quarta-feira, sub-17 e Liga dos Campeões, deveu-se à sua participação no 'Jogo Aberto'. A sua presença, por causa dos merchandisings e vontade da apresentadora, tornou-se indispensável.

Indignação

A ausência do Denílson e a escalação do Paulo Jamelli, que não pertence aos quadros da Band, foi outro caso que provocou certa indignação. Por que não Veloso ou Ronaldo que já são contratados da casa?

Mudança de rumo

Glória Perez pode até não admitir, mas na concepção de 'A Força do Querer', Débora Falabella é quem seria, do lado bandido, o maior nome da novela. Só que no avançar da história este posto foi sendo alcançado pela personagem da Juliana Paes, tanto que a Irene já despencou do elevador três capítulos antes do encerramento.

 


Últimas de Diversão