Cantora Sara Bentes retorna de turnê na Europa e lança livro no Rio

Encontro com leitores será nos dias 1º e 2 de dezembro, na Barra

Por O Dia

Rio - A cantora e compositora Sara Bentes, de Volta Redonda, e dno Sul do estado, lança nos dias 1º e 2 de dezembro, na chamada Cidade PcD (Pessoa com Deficiência), no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, seu livro “E Não Esqueça de Regar os Girassóis”. No dia 1º, a escritora também vai cantar, às 14h.

Em seguida Sara, de 33 anos, portadora de deficiência visual crônica, que acabou lhe cegando de vez há oito anos, estará disponível para autografar sua obra, no estande Emprol RH. A entrada é gratuita.

Sara Bentes%3A toques de humor e poesia para quebrar tabusDivulgação

Sara retornou recentemente de uma viagem à Mersin, na Turquia, onde também se apresentou com a orquestra Tarik Sezer, como parte da programação de um festival internacional de arte. Ela também esteve em Estocolmo, na Suécia, num show no Teatro Bulevar e uma sequência de cinco outras apresentações no Svartklubben, casa de shows e restaurante no escuro. Todos os shows na Suécia Sara fez com a banda sueca Synliga, com quem cultiva amizade e parceria musical desde 2015, quando se conheceram num festival internacional de música na Tailândia.

"E não se esqueçam de regar os girassóis" foi lançado este ano em formatos digital e impresso. "Tem sido muito gratificante receber o retorno dos leitores, que já têm me cobrado inclusive a continuação do enredo num outro volume", diz Sara.

Sobre o livro

Depois de um livro de poemas e outro de crônicas, “E não se esqueçam de regar os girassóis” é o terceiro livro de Sara, o primeiro romance publicado. Mas não é seu primeiro romance, “e nem o último”, avisa. Aos 18 anos ela escreveu seu primeiro romance, não publicado.

Entre 2010 e 2012 deu vida a “E não se esqueçam de regar os girassóis”. Este ano trabalhou em mais um romance. “E não se esqueçam de regar os girassóis” é uma ficção, um romance que conta a história de dois personagens que vivenciam o mundo de formas bem diferentes. E, ainda assim, desde o primeiro capítulo, mostram-se tão iguais a todos nós.

Giovanna é uma mulher jovem, que canta, trabalha, navega na internet, dança, ama a natureza e tem um noivo. É uma moça comum, que faz coisas que toda moça faz nessa era da informação visual e da ditadura da imagem. Só que ela está perdendo o sentido mais cultuado do ser humano: a visão.

Emanuel, por sua vez, é um programador criativo, um palhaço incorrigível, famoso no meio virtual por seus conhecimentos avançados na informática e por seu ativismo polêmico a favor da não-violência; ele é um hacker do bem e invade e desfigura páginas que incentivem qualquer tipo de agressão, é o que ele acredita ser sua missão pela paz.

O que os internautas não ficam sabendo é que Manu, como é conhecido entre os amigos, convive há 10 anos com uma deficiência física e se alterna entre muletas e uma cadeira de rodas.

Mesmo com experiências tão diferentes, Giovanna e Emanuel têm, de alguma forma, seus passados entrelaçados, e verão seus caminhos se cruzarem para que aprendam e ensinem muito, sobre a completude humana, o perdão, o amor, a confiança, a amizade e a cumplicidade, a esperança e a superação.

“Esta obra vem, com toques de poesia e comédia, quebrar tabus da vida real e derrubar clichês literários referentes aos temas abordados. Ao mesmo tempo, é uma história bastante realista, que traz olhares profundos sobre temas como violência, suicídio, perdas, preconceito, traumas...”, adianta Sara. Mais informações sobre o livro: https://www.youtube.com/watch?v=H0YCkhsH5IU

Últimas de Diversão