Silvio Santos completa 87 anos

Dono do SBT não dá entrevistas, mas colaborou bastante com uma biografia sua em quadrinhos, lançada originalmente em 1969, e que está de volta

Por O Dia

Rio - Silvio Santos faz 87 anos hoje, com saúde e disposição invejáveis. Se Chacrinha, outro grande apresentador, dizia que tinha vindo para confundir, o criador do SBT faz o contrário. Deixa na cabeça do brasileiro a certeza de que é impossível imaginar a consolidação da TV no Brasil sem ele. Nada do que existe hoje na telinha existiria sem que um sujeito chamado Senor Abravanel, seu nome verdadeiro, tivesse nascido em 12 de dezembro de 1930, no Rio. Uma trajetória que surge em 'Silvio Santos - A Biografia', de Marcia Batista e Anna Medeiros (Universo dos Livros, 280 págs, R$ 39,90).

Sai biografia de Silvio Santos pela editora Universo dos LivrosDivulgação

Há 57 anos no comando do 'Programa Silvio Santos' (em 1993, com três décadas de exibição, entrou para o Guinness Book pela longevidade), o "patrão" não concede entrevistas. E não falou à sua própria biografia. Mas não deixou de dar uma pequena alegria à editora do livro. "Mandamos o original para ele ler, e ele me ligou para agradecer. Colocamos no viva-voz e uma diagramadora da Universo dos Livros chorou quando ouviu a voz dele", conta Marcia, editora-chefe da empresa. 

Se você é fã de Silvio, do tipo que não sai da frente da TV quando o “patrão” aparece, pode se preparar para pedir de Natal não só o livro de Marcia e Anna como também o tradicional ‘A Fantástica História de Silvio Santos’, de Arlindo Silva, publicado originalmente em 2001, que retorna às livrarias (Ed. Seoman, 200 págs, R$ 33,90). E ainda há mais dois livros recém-chegados às lojas. Um deles é ‘Silvio Santos - A trajetória do Mito’, de Fernando Morgado (Ed. Matrix, 208 págs, R$ 39,90), que traz uma faceta do apresentador em cada capítulo, além de várias de suas frases.

Um relançamento curioso é o de uma história em quadrinhos sobre a vida do apresentador, ‘Silvio Santos - Vida, Luta e Glória’, de R. F. Lucchetti e Sérgio M. Lima (Ed. Avec, 50 págs., R$ 29,90). Lançada originalmente em 1969, a HQ contou com a colaboração de Silvio, que deu várias entrevistas ao roteirista Lucchetti num texto escrito para o relançamento.

No fim dos anos 1960, o autor tinha procurado Silvio com a ideia de publicar uma revista com o nome de um programa que ele tinha no rádio, ‘Histórias Que o Povo Conta’. Acabou resolvendo dar a ideia a Silvio de fazer o livro, considerado pelo apresentador como sua biografi a ofi cial, na época. “O Silvio narrou certa parte da sua vida e me disse: ‘Daqui por diante, tudo o que você criar será minha biografia’”, escreveu Lucchetti no texto do relançamento.

Silvio Santos é carismático%2C alegre%2C falante%2C simples e vencedorDivulgação

Curiosamente, mesmo tendo assessoria do biografado, o livro traz uma informação truncada. Que por sinal tem justificativa. Como o apresentador, nos anos 1960, não divulgava informações particulares, ele é retratado em ‘Vida, Luta e Glória’ como “Silvio”, e não como Senor, em cenas de infância e adolescência.

TIRADO DA GAVETA

Marcia já vinha coletando material sobre Silvio desde o começo da década, com a ideia de lançar o livro. “Cheguei a falar com uma das filhas dele, mas as negociações não foram adiante”, conta. O material foi para a gaveta e foi tirado de lá neste ano, “de um estalo”. Marcia convocou a amiga Anna Medeiros para dar uma ajuda na consolidação e o livro nasceu, não apenas com a ideia de mostrar a vida do “patrão”, como também de desfazer alguns mitos.

“Havia uma história de que ele tinha sido salvo de um incêndio por sua mãe, que teria impedido Silvio e seu irmão Leon de irem ao cinema, justamente no dia em que o cinema pegou fogo. Desmentimos. Pesquisamos muito e vimos que várias histórias truncadas que as pessoas falaram lá atrás viraram verdades”, conta Marcia.

No Teleton%2C que acontece no SBT todos os anos Divulgação

O livro traz a história da parceria do apresentador com Manoel de Nóbrega, que marcou o começo da sua carreira e consolidou seu sucesso como dono de empresas - sim, porque Silvio é, antes de tudo, um empreendedor.

Também conta a trajetória da antiga TVS Rio e do SBT, que recentemente passou por um limpeza na folha de pagamento - até Moacyr Franco, antigo colaborador, foi demitido. Independentemente de demissões e crises, Silvio é descrito no volume como um empregador bastante humano. “Quem trabalha no SBT tem sensação de estar numa família. Silvio conversa com todos os funcionários”, conta a autora. O livro também redescobre que a amizade com Roque, animador de auditório, vem dos tempos da Rádio Nacional.

“O Decio Piccinini e o Leão Lobo lembram que foram eles que deram o primeiro emprego a Iris (mulher de Silvio), na ‘Contigo’. Ela já estava com os fi lhos crescidos e queria trabalhar. E hoje ela é um estouro como autora de novelas do SBT”, recorda Marcia, ressaltando também a amizade e admiração que Mara Maravilha tem por ele.

"Ela chama o Silvio de ‘paitrão’. A primeira vez que a Patricia Abravanel (filha de Silvio e apresentadora) pegou no microfone foi no programa dela. Todas as filhas do Silvio eram fãs da Mara. O Silvio dizia que a Xuxa era o arroz e ela, o feijão”.

SILVIO POR SILVIO

"Como camelô, eu já era um empresário. Mantinha três funcionários. Um ficava olhando quando vinha o rapa. O outro cuidava do estoque de canetas. O outro chegava de quinze em quinze minutos e falava: ‘Gostei da caneta, me dá uma’”.

“Sou uma pessoa de sorte. Não levei a vida, a vida é que me levou”

“Uma coisa que eu gostaria é de morrer sem precisar ir ao hospital”

“Costumo ter mais vitórias do que derrotas porque quando o ser humano está com a razão, Deus é o seu advogado”

“Minha maior tristeza foi a morte da minha primeira mulher, Cida, aos 39 anos, com câncer no estômago”

“A Globo é um muro, e ultrapassar esse muro a gente só consegue de vez em quando”

“Se Deus fecha uma porta, abre uma janela”

“Eu não nasci dono de televisão. Eu fui dono de televisão porque os donos de televisão fecharam uma porta pra mim”

“Se você conseguir algo facilmente, desconfie. Nada é tão fácil quanto parece”

“Uma coisa que não deve preocupar quem quer se meter em qualquer tipo de negócio são os elogios e as críticas” 

SILVIO POR ELES

“Aprendi muito com o Silvio, mas é impossível assimilar tudo, porque ele é de uma espécie rara: a dos que já nascem sabendo” (Sônia Abrão)

“Hoje o Silvio não é mais meu patrão, ele é meu amigo. E é amigo de todos os funcionários” (Roque)

“Eu orei para voltar a trabalhar ao lado do Silvio. Não sou Abravanel, mas meu DNA artístico é Silvio Santos” (Mara Maravilha)

“Silvio Santos, para mim, é sinônimo de amizade e lealdade” (Carlos Alberto de Nóbrega) 

“O que mais me admira nele é o seu amor e a sua resiliência pela profissão” (Wellington Muniz, o Ceará)

“A humildade foi o maior ensinamento que ele me passou”
(Maísa Silva)

Últimas de Diversão