Praia sem dinheiro na carteira

Vendedores da orla do Rio aceitam cartões de crédito e aumentam sua clientela

Por O Dia

Rio - Do Leme ao Pontal, as praias estão bombando de turistas e cariocas querendo curtir cada minutinho sob o sol. E como os verões doRio não podem deixar de ter novidades, a onda agora é ir à praia sem dinheiro. Muitas barracas e vendedores já aceitam o pagamento dos comes e bebes em cartão de crédito e débito, um comodismo a mais para os banhistas.

Uma das barracas mais movimentadas da orla do Leme, a Santa Tereza, oferece bebidas, cadeiras e barracas às centenas de clientes que procuram o local, conhecido pelo bom atendimento. Mas o dono do point, Nunes Cavalheiro, de 47 anos, resolveu inovar e apostar no uso das máquinas de cartões para pagamento dos clientes, que aprovam a ideia. Ele comemora o sucesso do serviço e disse que a ideia melhorou a frequência do local.

Nunes Cavalheiro ressalta as vantagens do cartão%3A é mais prático e evita o problema de ter que juntar troco para os clientesMaria de La Gala / Agência O Dia

“É muito mais prático. A gente recebe direitinho, mesmo com a taxa dos bancos, vale a pena. E nem passamos por aquele sufoco de ter que arrumar troco. Nos finais de semana, 90% dos pagamentos que recebemos são nos cartões”, disse o comerciante. Nunes afirma que, depois que adotou o sistema de máquinas — ele recebe as principais bandeiras de cartões de crédito e débito — viu sua clientela aumentar.

“Passamos a receber 30% mais fregueses do que quando o pagamento era só em dinheiro. Aos domingos, são cerca de 200 pessoas que atendemos, às vezes faltam cadeiras”, conta ele, que também colocou outros atrativos no local, como chuveirinhos e piscinas para a criançada. A barraca funciona de segunda a segunda, perto da Avenida Princesa Isabel.

Frequentadora assídua do local, a cabeleireira Jussara Batista, 47, aprova a novidade. “Costumo vir à praia e ficar o dia inteiro, consumindo e me refrescando no mar. É legal porque você fecha a conta no final e não precisa ficar catando dinheiro nem correndo atrás de banco para sacar e pagar tudo”, diz.

José Luis e Paulo Henrique%2C da Barraca do Joel%2C contam que o pagamento com cartão facilitou o atendimento deles na areia da praiaMaria de La Gala / Agência O Dia

Turistas satisfeitos

Vanessa Nunes, 32, costuma ir com a família nos finais de semana para a orla de Copacabana. Ela ressaltou que o uso de máquinas pelos vendedores deu mais tranquilidade ao passeio, já que ela não precisa mais andar com dinheiro.

“A gente tem receio de sair na rua carregando quantias porque pode acontecer de perder. E dinheiro chama a atenção pelo volume. Com criança, então, que toda hora pede um picolé, refrigerante e salgadinho, a gente precisa ficar contando as notas na frente das pessoas. Depois que descobri que aceitam cartão na praia, não quero outra vida”, comemora.

E quem pensa que só as barracas aderiram à moda, engana-se. Nas areias cariocas é possível comprar biquínis, cangas, camisetas e outros itens para passar um dia tranquilo em frente ao mar. “Minha amiga e eu compramos biquínis e cangas com estampas do Rio, para levar de presente para outras amigas que moram em Minas Gerais. O dinheiro que tinha na bolsa dava só para pagar a cerveja. Paguei no cartão e não perdi a chance de levar lembranças da cidade”.