Cássio é investigado por comentário racista

MPF está estudando o caso do gaúcho. Não foi a primeira vez que o brother fez comentários ofensivos na internet

Por O Dia

Rio - Nessa quarta-feira, o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro recebeu uma representação contra um comentário considerado racista feito por Cássio Lannes, do BBB 14.

De acordo com a assessoria do MPF, a denúncia foi feita na Ouvidoria da Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República, em nome da Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN), em Brasília, mas o caso seguiu para o Rio, sede da Rede Globo.

Brother é investigado pelo MPFReprodução Internet


Na madrugada de 16 de janeiro, em conversa com a personagem Valdirene (Tatá Werneck), o Brother perguntou à humorista o que ela achava de se relacionar com um homem de sua altura (1,97 m). Valdirene brincou dizendo que uma amiga teria morrido por isso. Cássio, então, disse que é acusado de assassinato porque "atravessou" uma afrodescendente durante o sexo porque pensou que ela já estava acostumada com órgãos genitais grandes.

Outras polêmicas

Antes mesmo de entrar no BBB 14, Cássio já era assunto na internet por fazer comentários ofensivos a negros em sua conta no Twitter. O participante comentou: "Saudade de quando ter escravos não era crime", em novembro do ano passado. Depois de várias críticas, o post foi apagado pelo irmão do rapaz.

Após críticas%2C post foi apagado pelo irmão de CássioReprodução Internet

O ''brother'' também escreveu outros ''posts'' polêmicos. Em um deles, Cassio cita o caso Nardoni. "O que entra pela porta e sai pela janela e não é o vento? R. Isabella Nardoni". A menina Isabella Nardoni morreu após cair do apartamento em São Paulo. Os pais foram condenados pelo crime.