Por daniela.lima

Rio - Apesar de confessar a companheiros de confinamento do BBB 15 que já agrediu, em duas ocasiões, uma antiga namorada, o brother Douglas, que é de São Paulo, pode se livrar de uma investigação policial. Isto porque, caso o motoboy esteja falando a verdade e o fato tenha sido cometido há nove anos, o crime de lesão corporal estaria prescrito. 

Douglas revelou que deu um soco na ex-namorada e ela desmaiou na horaReprodução / TV Globo


Ao contrário do que afirmou a assessoria de imprensa da Polícia Civil paulistana, que alegou que o avanço do caso necessitaria da representação da vítima em alguma delegacia da cidade ou até mesmo em outro estado, o Supremo Tribunal Federal (STF) estabeleceu, em 2012, que a ação penal pública da Lei Maria da Penha não necessita mais de exclusiva representação caso se torne pública.

Com isso, a polícia poderia iniciar uma investigação para averiguar a veracidade dos depoimentos. O motoboy contou, no início da madrugada desta terça-feira, que o crime ocorreu quando ele tinha 20 anos. O rapaz, que hoje tem 29, disse que a ex começou a persegui-lo, após levar um fora. Numa festa na casa da família da jovem, ele disse ter batido na cara dela depois de receber uma cusparada. "Pegou o goró com gelo e virou para o lado e cuspiu na minha cara. Dei um soco só e ela desmaiou", falou.

Ainda de acordo com Douglas, ele já teria agredido a moça outras vezes. Depois de voltarem de uma balada, segundo o brother, ele a encontrou numa praça com uns amigos seus. "Eu vi que ela estava lá e eu resolvi encostar. Eu sentei e ela veio sentar do meu lado. Ela falou 'duvida eu te queimar com o cigarro' e eu falei que não duvidava", disse, para depois prosseguir. "Eu mudei de lugar. Ela veio, apagou e tenho a cicatriz até hoje. Eu levantei, fui até o carro e falei tchau para a galera. Quando eu entrei no carro, pensei, está errado. Ela não pode fazer isso. Voltei e quebrei ela, só na cara".

Outros brothers que estavam na varanda da casa ficaram assustados com a declaração. O motoboy ainda afirmou que não teria problemas em explicar o episódio numa delegacia, caso ela o denunciasse com base na Lei Maria da Penha. "Paciência tem limite. Se fosse hoje, ela iria na delegacia, daria queixa da Maria da Penha e eu iria de bom grado e falaria, eu bati. Estourou minha paciência. Eu ficaria um mês preso, eu pagaria cesta básica, não deveria ter batido".

Como Douglas era menor e o fato pode ter ocorrido antes da mudança da Lei Maria da Penha, em 2006, o caso prescreveria em dois anos. No entanto, se o crime foi cometido após a alteração no código e aconteceu a partir de março de 2007, uma ação penal pública ainda poderia ser aberta. 

Luan em 2010 quando era soldado do ExércitoReprodução Internet


Luan confessa que matou homem com tiro na cabeça no Complexo do Alemão 

Esta não foi a primeira vez que o "BBB 15" virou assunto de polícia, já na primeira semana Luan Patrício confessou ter matado uma pessoa quando atuava no Exército Brasileiro. Na ocasião, o rapaz revelou aos brothers que atirou na cabeça de um jovem durante a ocupação do Complexo do Alemão, em 2010.

“Acho que ele era mais novo do que eu. Estava com 19, ele devia estar com 16.
Na hora eu tremi, o sargento olhou para mim e disse: ‘Ou era você, ou ele’”,
contou o ex-militar.

Você pode gostar