Por raphael.perucci
Publicado 29/05/2013 03:55 | Atualizado 29/05/2013 04:34

Rio - O deputado estadual Chiquinho da Mangueira tomou posse, na noite desta terça-feira, como novo presidente da Estação Primeira. Durante a festa, que reuniu mais de mil pessoas, no Clube dos Subtenentes e Sargentos do Exército, no Rocha, o dirigente apresentou o novo conselho e a equipe do Carnaval 2014. No discurso, Chiquinho afirmou que o momento "é difícil", mas que os torcedores podem esperar uma escola competitiva na Sapucaí no ano que vem.

"A expectativa de todos é muito grande. Vamos começar a trabalhar no barracão na próxima segunda-feira. Temos um grande enredo, que tem a cara da Mangueira, cultural, pois a Mangueira representa o que há de melhor na cultura brasileira", disse. Intitulado "A festança brasileira cai no samba da Mangueira", o enredo vai exaltar as principais festas brasileiras como o São João, o Carnaval e o Réveillon do Rio. A escola, no entanto, ainda não conta com patrocínio.

Presidente da Liesa%2C Jorge Castanheira exaltou a vitória de Chiquinho da MangueiraRaphael Azevedo / Agência O Dia


"Ainda não temos, mas vamos correr atrás. É um enredo que tem essa possibilidade. Não queríamos vender nosso enredo e por isso recusamos uma boa proposta de R$ 6 milhões. Tínhamos a obrigação de resgatar os grandes enredos da escola. Podem ter certeza de que vamos brigar pelo título", completou.

Quadra reformada somente em agosto

Um mês após a eleição e muito trabalho para limpar e retirar lixo da quadra, a Mangueira iniciará agora uma grande reforma no Palácio do Samba. A reabertura só irá acontecer na segunda semana de agosto, quando haverá uma grande festa para marcar o início da disputa de samba-enredo. Segundo Chiquinho, após o desfile de 2014 as atividades serão interrompidas no local para a construção da nova quadra visando o Carnaval de 2015. A obra será custeada em parte pela prefeitura do Rio e usará como base um projeto criado por Oscar Niemeyer. "O prefeito (Eduardo Paes) me garantiu que vai nos ajudar a viabilizar a nova quadra", revelou o presidente.

Acordos e renegociações de dívidas

Diante do público que lotou o salão do clube, Chiquinho fez questão de enumerar algumas pendências financeiras e judiciais que a nova gestão enfrentará. "A Mangueira vive um momento difícil. E por isso nós estamos aqui. A escola passa pelo seu pior momento na história, com uma dívida difícil de ser paga. São 107 ações trabalhistas, sendo que 100 delas a Mangueira já perdeu. Os acordos serão pagos em 10 anos e, se possível, em cinco. Além disso, temos cinco ações cíveis que vão nos custar cerca de R$ 600 mil".

Salão de clube no Rocha ficou lotado para posse de Chiquinho da MangueiraHenrique Matos / Divulgação


"Não estamos numa aventura. Temos milhões de problemas, mas temos milhões de pessoas que querem ajudar e vamos lutar para resolver todos os problema e pagar a todos aqueles que tem alguma coisa a receber", afirmou Chiquinho, que já teve encontros com representantes do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) e do TJ (Tribunal de Justiça) para buscar acordos. No total, a dívida da verde e rosa pode chegar a R$ 11 milhões.

Equipe confiante e renovada

Na festa, foram apresentados os novos contratados e representantes dos principais segmentos, entre eles o coreógrafo Carlinhos de Jesus, a porta-bandeira Squel, o mestre-sala Raphael, a rainha de bateria Evelyn Bastos e o intérprete Luizito. A carnavalesca Rosa Magalhães não compareceu. 

Para Luizito, que está no posto desde a saída de Jamelão, em 2007, é motivo de "satisfação e orgulho" continuar na verde e rosa. "Dou meu sangue, meu suor, minha  alegria. E sou muito querido por todos. Não tenho pose, só quero fazer o meu trabalho. Fico feliz de ser reconhecido e poder continuar como intérprete da Mangueira", festejou.

Carlinhos de Jesus comemora nova fase da Mangueira com o intérprete LuizitoRaphael Azevedo / Agência O Dia


Carlinhos de Jesus: 'Volto para não sair mais'

Eufórico também estava Carlinhos de Jesus, que foi bastante assediado por integrantes da escola com muitos pedidos de fotos. De volta após quatro anos, o renomado coreógrafo afirmou que se sente "voltando para casa". "Era o meu momento de voltar. O Chiquinho é um grande administrador e posso dizer que agora volto para não sair mais", disse.

Carlinhos também exaltou a nova parceria com a carnavalesca Rosa Magalhães, com quem trabalhou na Vila Isabel em 2013. "Estar com a Rosa é sempre uma honra. Temos tudo para fazermos um grande desfile no ano que vem. Vem muita coisa boa por aí. A responsabilidade maior é trazer alegria para o
mangueirense".

Diversas personalidades do samba prestigiaram o evento, entre elas as cantoras Alcione e Rosemary, o compositor Nelson Sargento (presidente de honra da Mangueira), a ex-rainha de bateria Renata Santos e os presidentes do Império Serrano, Átila Gomes, do Salgueiro, Regina Celi, e da Liesa, Jorge Castanheira. O desembargador Siro Darlan e o filho do governador Sérgio Cabral, Marco Antônio Cabral, também marcaram presença.

Chiquinho posa com o casal de mestre-sala e porta-bandeira Raphael e SquelBarbara Alejandra / Divulgação


Ex-presidente da Mangueira%2C Elmo José dos Santos posa com Jorge Castanheira (Liesa)%2C e o casal de mestre-sala e porta-bandeira Raphael e Squel%3A festa na verde e rosaHenrique Matos / Divulgação


Você pode gostar