Por raphael.perucci

Rio - Após ter suas atividades ameaçadas por falta de recursos, a Escola de Mestre-Sala, Porta-Bandeira e Porta-Estandarte Manoel Dionísio conseguiu firmar um convênio com a RioTur.

O processo de negociação começou em janeiro e finalmente a entidade conseguiu tornar oficial o suporte de logística e infraestrutura do órgão público para o projeto.

Segundo Viviane Martins, atual diretora da escola, a parceria vai permitir que as aulas aconteçam com mais tranquilidade e com a certeza de que o projeto seja desenvolvido plenamente.

Manoel Dionísio comanda projeto social na SapucaíDivulgação


“A RioTur se mostrou preocupada em conseguir de qualquer maneira um apoio para nós, já que nestes quase 23 anos o espaço sempre foi liberado, pensaram em como minimizar nossas dificuldades financeiras para manter esta atividade que só traz benefícios para nossa cultura.”

Nos próximos passos estão a renovação do apoio e o estudo de formas de tornar a escola autossustentável, já que é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos. Mas, por enquanto, é comemorar o incentivo público: “Um progresso, uma conquista, um reconhecimento e a realização de um sonho que temos há anos”.

Você pode gostar